Record

Clube dos Pensadores

Joaquim Jorge
Joaquim Jorge Fundador do Clube dos Pensadores

Portugal uma vergonha

Uma vergonha de jogo que teve uma segunda parte a arrastar-se e que acabasse o mais rápido possível. Um jogo para esquecer que põe em causa a moral de Portugal e de Ronaldo que vinha embalado de uma série de jogos sempre a marcar.

Fernando Santos já fez muito pela selecção portuguesa, mas não pode começar a inventar. Quem é campeão europeu tem responsabilidades acrescidas. Fernando Santos sempre foi melhor gestor de jogadores e de egos, do que treinador propriamente dito. Os seus critérios na feitura da selecção contra a Holanda foi desconexo. Não se pode jogar sem um trinco de raiz.

Portugal já não é uma equipa qualquer, tem que ter o realismo de se apresentar com profissionalismo e prestigiar o seu nome.

Foi um jogo que se tornou um suplício para quem foi campeão europeu e, é só, o 3.º do ranking Mundial!
Achei este jogo uma vergonha, uma humilhação, uma desgraça, um enxovalho e um embaraço.

A expulsão de João Cancelo ficando Portugal com 10, tirou qualquer veleidade de recuperar do 0-3. A falta de João Cancelo no meio-campo mostra desorientação e ausência de traquejo para estas andanças. Jogar no Inter de Milão não é porta de entrada para esta selecção.

O ânimo da selecção foi destruído. A vitória nos minutos finais contra o Egipto levantou a moral, porque o jogo em si, mostrou Portugal com muitas debilidades.

Pepe faz muita falta para ordenar a nossa defesa. Este jogo de preparação é um aviso sério que as coisas têm que mudar para Portugal não chegar à Rússia e ser esmagado.

A primeira parte foi uma humilhação em jogo jogado que não me recordo de ver Portugal tão pequenino, e nós portugueses passarmos por isto.

João Mário e Adrien têm jogado pouco e não estão com ritmo de jogo. Manuel Fernandes esteve ausente do jogo. Será importante para a integração da nossa selecção em Moscovo, mas tem que mostrar a sua utilidade, de outro modo, não se justifica.

Ronaldo merece uma equipa melhor e à sua imagem. Portugal tem que fazer uma gestão de continuidade e deixar-se de experiências sem sentido. Contra o Egipto foi o que se viu e só o santo Ronaldo nos livrou de perder.

Fernando Santos tem que deixar de inventar e apostar na equipa de sempre. As mudanças drásticas não são boas conselheiras. Em relação ao jogo, uma referência às bancadas com enormes clareiras, à invasão de campo de vários adeptos para tirar uns selfies e dar uns abraços a Ronaldo.

Jogou-se na Suíça para os nossos queridos emigrantes, mas parece que não resultou de todo.

Um dia, para esquecer e esperemos que as coisas mudem para melhor. Fernando Santos é engenheiro não é inventor, um engenheiro tem que ser pragmático e eficiente

Abdiquemos de experiências e honremos e prestigiemos a nossa selecção com os melhores jogadores.
Espero que não passemos de campeões europeus a simples figurantes no Mundial.
A Portugal exige-se atitude, concentração e postura. O que se viu foi invenção, amadorismo, desalento, falta de garra e intensidade.

Fundador do Clube dos Pensadores
*escrevo ao abrigo do antigo AO
Deixe o seu comentário
M