Clube dos pensadores

Joaquim Jorge
Joaquim Jorge Fundador do Clube dos Pensadores

Real Madrid contra Real Madrid

O Real Madrid começou a época em grande, venceu a Supertaça europeia contra o Manchester United, de seguida, venceu a Supertaça de Espanha contra o Barcelona a duas mãos. A superioridade evidenciada e a qualidade do jogo, colocam o Real Madrid de Zidane ao nível do outrora Barcelona de Guardiola. Ganhou dois troféus antes de começar a Liga espanhola.

Zidane tem uma ideia de jogo sólido com rotação de jogadores. Real Madrid entra na Liga espanhola para defender o título, mas também para defender um estilo. O Real Madrid neste início de época utilizou 18 jogadores de campo: Carvajal, Ramos, Varane, Marcelo, Casemiro, Kroos, Modric, Isco, Bale, Benzema, Cristiano, Lucas, Asensio, Kovacic, Theo, Ceballos, Nacho e Marcos Llorente.

O normal é o Real Madrid adquirir estrelas galácticas, mas este ano com a filosofia de Zidane: "não toques muito, no que funciona e quem vier não tem onde ser colocado". O chavão ancestral no meio futebolístico: em equipa que ganha não se mexe. Zidane aposta na continuidade e em bom ambiente no balneário. Todos os jogadores vão ter minutos.

Este ano, o Real Madrid tem sido discreto, em aquisições. Comprou por 26 milhões de euros Theo e por 16,5 milhões Ceballos. Total de gastos - 42,5 milhões de euros.

Vendeu por 80 milhões Morata para o Chelsea; 30 milhões Danilo para o Manchester City; 13 milhões pelo empréstimo de James para Bayern de Munique; 8 milhões Mariano para o Lyon. Realizou -131 milhões de euros.

Tem um superávit, o que não é normal num clube como o Real Madrid.

Zidane, o elegante, o prático e envolvente, deixou claro que este ano vai haver mais rotações, em cada jogo pode mudar a equipa em quatro ou cinco jogadores, mas nada se vai alterar no fio de jogo e postura da equipa.

Este Real Madrid, neste início de época parece de outro mundo, é assombroso. Até mete medo às outras equipas. Ganhou a posse de bola ao Barcelona e foi amplamente superior. Depois foi à Corunha e marcou um golo com 44 toques de bola. Existe uma sensação de superioridade gritante e uma capacidade de brilhar impressionante.

Sem Ronaldo, o Real Madrid é mais gregário, cooperativo e associativo. Com Ronaldo é mais imprevisível, individualista, profundo e acutilante. E, o mais importante, mágico e com golos únicos.

Deste modo, o Real Madrid terá como maior opositor ele próprio. Será o Real Madrid contra o Real Madrid.
Pode ser perigoso, o optimismo exagerado e a euforia que se vive no Real Madrid. Convém que o Real Madrid não se deslumbre e mantenha este registo. O Real Madrid tem que lutar contra o excesso de confiança, e estar imparável e demolidor.

O Real Madrid irá lutar contra ele próprio, mas Zidane terá o antídoto para se superar. O Real Madrid de Zidane caminha a passos largos para superar o Barcelona de Guardiola.

Zidane renovou pelo Real Madrid sem condições, podia muito bem exigir depois da conquista de sete títulos. É o seu estilo "doucement". Compete a Zidane gerir o êxito e pôr à prova o seu domínio.

Nota: grande Sporting, grande jogo e com enorme mérito na Liga dos Campeões

Deixe o seu comentário

Assinatura Digital Record Premium

Para si, toda a
informação exclusiva
sempre acessível

A primeira página do Record e o acesso ao ePaper do jornal.

Aceder

Pub

Publicidade
apenas 1€ por mês
experimente sem compromisso e garanta o seu lugar na bancada da melhor informação deportiva.
  • conteudo record em qualquer sítio e a toda a hora
  • acesso no pc, tablet e smartphone
  • versão e-paper do jornal no dia anterior
  • conteudos exclusivos para assinantes
  • suplementos especiais

Copyright © 2020. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.