Números da Liga

Luís Avelãs
Luís Avelãs Jornalista

Longe vão os tempos em que os 0-0 nos aborreciam

Sempre se disse que um jogo de futebol sem golos é como um prato de comida sem condimentos. E, de facto, quem é que gosta de ver hora e meia de futebol sem um único remate certeiro? Provavelmente ninguém! Por muita qualidade futebolística que exista em campo, a ausência de golos retira – automaticamente – grande parte da beleza (e da emoção) do desporto-rei. Durante muito tempo a Liga não era conhecida por nela se verem muitos golos. Dessa forma, os cinzentos 0-0 surgiam com naturalidade. Para os analistas, a ditadura do ponto levava a que muitos treinadores jogassem deliberadamente a pensar em não perder antes de equacionar algo que pudesse levar a equipa ao triunfo. Quando a vitória valia dois pontos, efetivamente, a ideia até fazia algum sentido. Porém, quando passaram a ser três os pontos correspondentes a cada sucesso tudo se alterou. Matematicamente, mas também do ponto de vista da mentalidade. Não foi de imediato, claro, mas a tendência agora é ver as equipas, quase sempre, a pensar em correr riscos para chegar às vitórias. Basta perceber que um triunfo e uma derrota valem mais do que duas igualdades...

Esta temporada, após as duas primeiras rondas, ainda não tivemos nenhum jogo a terminar sem golos. Nas últimas seis épocas, no mesmo período, nunca houve mais do que um encontro com esse desfecho. Curiosamente, entre 2009 e 2012, foram sempre quatro as partidas com nulos nas duas primeiras jornadas. Parece, de facto, que algo está a mudar e, convenhamos, esta é uma alteração que se saúda. Os 0-0 sempre foram (e serão) aborrecidos...

Para já, em 18 embates, registaram-se 9 vitórias caseiras, enquanto os forasteiros conquistaram 6 e houve 3 empates. A distribuição dos golos também favorece as equipas locais (33-25), sendo que existe igualdade entre ‘tiros’ certos nas primeira e segunda partes (29-29), algo que contraria o habitual domínio dos segundos 45 minutos, período em que o número de golos costuma ser mais alto. Devido à proximidade do final dos duelos, claro, e também pelo tempo extra que se joga.

SABIA QUE...

Foi ‘disparado’ o mesmo número de remates nas duas primeiras jornadas? Tanto na ronda inaugural como na do último fim de semana, registaram-se 214 ‘tiros’. Curiosamente, as equipas que somam mais remates (Benfica e FC Porto) estão empatadas (32).

O Portimonense é a única equipa que ainda não marcou? Os algarvios, paradoxalmente, lideram o ranking de cantos (20) e somam outros tantos remates, o que equivale a dizer que já visaram mais vezes a baliza contrária do que Feirense e Aves (19), Belenenses (18), Chaves (15) e Boavista (13). Acertar no alvo... é que nada!

As equipas madeirenses são as mais beneficiadas com penáltis? Nacional e Marítimo tiveram um castigo máximo a favor em cada uma das rondas. No caso dos maritimistas a situação não deixa de surpreender, pois a época passada o clube não conquistou um só penálti!

Não houve expulsões na 2.ª jornada? Na primeira houve 4.

Deixe o seu comentário