Três sentenças

Luís Pedro Sousa
Luís Pedro Sousa Chefe de redação

Uso e abuso do poder

Bruno de Carvalho teve o que pretendia. Os sócios do Sporting , em assembleia geral extraordinária, aceitaram, por esmagadora maioria, alterar os estatutos e o regulamento disciplinar, superando largamente a fasquia dos 75 por cento que o presidente tinha imposto. O líder leonino saiu (ainda mais) legitimado, mais forte e mais poderoso. Mas, e apesar de os factos serem objetivos e a matemática não enganar, o Sporting não se transformou numa ditadura de matriz clubística, mesmo que o discurso do incontestável timoneiro possa fazer parecer.

2 - A trela, a vida privada
e as vingançazinhas

Mais uma vez, Bruno de Carvalho não soube gerir bem o novo cheque em branco que os sócios lhe deram. Desta vez, não mandou ninguém bardamerda. Fez pior. Com um discurso lamentável, tentou colocar uma trela nos seguidores mais acérrimos, dizendo-lhes o que devem ver, ouvir e ler. Como se de uma vingança se tratasse, foi mesmo co-responsável pelo facto de vários jornalistas terem tido a integridade física em risco no final da tarde de ontem. .. O poder nos clubes, atenção, é efémero. E se o Sporting não ganhar em Tondela, diminuirá já consideravelmente.

3 - O novo Zivkovic
e o velho Rafa

As lesões de Krovinovic e Salvio foram uma janela de oportunidade para dois jogadores que já iniciavam uma travessia do deserto. Zivkovic, cujas características até pareciam menos adequadas à função, tem aproveitado plenamente a oportunidade, nesta missão de médio interior esquerdo, de pendor claramente ofensivo, como é óbvio. Já Rafa, um extremo puro, teve ontem mais um desempenho muito aquém das expectativas.
Deixe o seu comentário

Assinatura Digital Record Premium

Para si, toda a
informação exclusiva
sempre acessível

A primeira página do Record e o acesso ao ePaper do jornal.

Aceder

Pub

Publicidade