De olhos na bola

Octávio Ribeiro
Octávio Ribeiro Jornalista

Os milhões de João Mário

O Euro ainda não começou, mas as notícias mais recentes garantem pelo menos um jogador da seleção portuguesa hiper motivado, a jogar nos 200%. João Mário sente-se preso a uma bola de ferro feita cláusula de rescisão e pago como jogador de fancaria.

João Mário é dos melhores jogadores europeus da sua geração. Pertence aquela classe rara de jogadores que parece jogar de saltos altos e afagar a bola como se parte do próprio corpo fosse. No Sporting ou num grande clube europeu, João Mario merece ganhar ao nível dos melhores, principalmente se confirmar toda a sua classe a favor das cores portuguesas.

Para já este grito do Ipiranga dado pelo seu pai, onde se denuncia a discrepância entre os milhões da cláusula de rescisão e o valor reconhecido ao jogador no salário, remete-nos para um problema que parece mal resolvido no futebol português e que não parece merecer grande atenção do sindicato da classe. O valor da cláusula de rescisão não deveria ter nexo num limite mínimo de salário para o jogador que ficará preso a essa cláusula?

Não é aceitável, nem à luz da boa fé que se pague a um jogador um salário que não lhe garante independência financeira futura e por esse mesmo jogador se peça uma fortuna para o libertar desse mesmo contrato.

Para já, a bem das nossas aspirações a um grande Euro, façamos votos de que João Mário transforme esta aparente injustiça em motivação extra. Assim, na maior montra da Europa, poderá mostrar que, se vale 60 milhões para o Sporting, também alguns milhões deverá valer para ele.

4
Deixe o seu comentário

Assinatura Digital Record Premium

Para si, toda a
informação exclusiva
sempre acessível

A primeira página do Record e o acesso ao ePaper do jornal.

Aceder

Pub

Publicidade