Dentro do balneário

Paulo Futre
Paulo Futre

Hoje é o grande dia

Hoje é a última jornada do campeonato. Portugal irá parar a partir das 17 horas. Como nas grandes ligas da Europa já se sabe quem é o campeão e tudo está praticamente decidido, os jogos da Luz e de Braga vão ser seguidos por milhões de fãs do desporto-rei em todo o Mundo. Afinal, esta tarde decide-se o título no país onde nasceu Cristiano Ronaldo... O campeonato português será o grande protagonista em vários continentes.

Para muitos destes amantes do futebol espalhados pelo Planeta, será a primeira vez que vão ver um jogo da liga portuguesa. Quando as partidas começarem e os comentadores de cada país contarem o que aconteceu durante este ano no futebol português, principalmente desde que Jorge Jesus saiu do Benfica para o seu eterno rival Sporting, todos vão pensar que nem o melhor realizador do Mundo, como por exemplo Steven Spielberg, podia dar forma a um guião assim.

Às 19 horas, já saberemos quem será o campeão desta liga, que, na minha opinião, foi das melhores e mais espetaculares da história do futebol português. Sem dúvida alguma que fora das quatro linhas foi também um dos campeonatos mais polémicos de sempre. Para os adeptos benfiquistas e sportinguistas esta foi, por outro lado, uma competição que mexeu com muitas coisas. Até comigo e com os meus amigos de infância mexeu...

No dia 5 de junho de 2015, quando o presidente do Sporting, Bruno de Carvalho, anunciou que o próximo treinador dos leões seria Jorge Jesus, Portugal quase que parou. Faltavam mais de dois meses para o início da Liga, mas, naquele dia, o campeonato 2015/16 acabava de começar mais forte do que nunca.

A partir daquele momento e até ao dia de hoje, em cada televisão, rádio, casa, bar, restaurante, rede social, etc., a rivalidade entre benfiquistas e sportinguistas esteve mais presente do que nunca. Dentro de 20 dias, faz um ano que o técnico português trocou de clube e, em todo este tempo, a discussão histórica que sempre existiu entre os adeptos e amigos de ambas equipas não teve pausa num único dia destes quase 365.

No meu caso, as discussões com os meus amigos de toda vida foram agradáveis e divertidas. Mas, há quatro semanas, foram proibidas! Só vamos estar todos juntos novamente uma semana depois de acabar a Liga... Este foi o pacto que fizemos, porque, nas últimas vezes, as vozes subiram de tom e o ambiente agradável que sempre houve entre nós transformou-se inexplicavelmente num clima de tensão.

Eu joguei em vários países com histórias e culturas diferentes, mas, se existe um ponto em comum em todos eles, inclusive no Japão, é a paixão pelo futebol. Pelas rivalidades clubísticas, o desporto-rei mexe com muitos sentimentos e este ano em Portugal mexeu mais do que nunca, passando todos os limites. Durante 345 dias, estes sentimentos estiveram sempre à flor da pele em cada adepto benfiquista e sportinguista.

Este foi, enfim, um campeonato longo, espetacular, polémico e com uma tensão acima dos limites, tanto dentro como fora das quatro linhas. Com ambas as equipas a mrecerem o título, só podia ser resolvido assim.Na última jornada. E este dia chegou!

Infelizmente, só pode ganhar um e o meu grande desejo para hoje não é que seja A ou B o vencedor, mas sim que a festa do título decorra sem problemas, para que não só os mais radicais possam festejar, como também famílias e crianças!


Caldeirada da semana -- Benítez

Rafael Benítez teve um ano mais do que horrível, conseguindo protagonizar uma das ‘caldeiradas’ da temporada em dois países. Começou a época no Real Madrid. Foi um fiasco em termos de resultados e na relação com os adeptos e, principalmente, com os jogadores. Acabou despedido e, depois disso, o Real Madrid conseguiu chegar à final da Liga dos Campeões. Curiosamente, não ficou parado por muito tempo, assinando pelo o Newcastle com o objetivo de assegurar a permanência dos ingleses. Falhou mais uma vez! Começar uma época no Real Madrid e acabar no Championship?!.. Grande caldeirada, Rafa!


Nós lá fora -- Carvalhal

O meu querido amigo Carlos Carvalhal, companheiro de quarto durante anos nas seleções jovens, segue numa caminhada histórica rumo à Premier League. Depois de conseguir o acesso ao play-off de promoção, alcançou, anteontem, uma vitória, por 2-0, na primeira-mão das meias-finais, frente ao Brighton. Trata-se de uma vantagem importante, tendo em conta o objetivo de chegar à grande final, que pode colocar o meu grande amigo na Premier League. Muita força, Carlinhos!!!


Álbum de recordações -- Vítor Oliveira

Estava eu em Madrid, na minha segunda época ao serviço do Atlético, e já o grande míster Vitor Oliveira conseguia a sua primeira subida de divisão ao serviço do Maia, passando da 3.ª para a 2.ª Divisão. Mas não ficaria por aqui. A sua posterior especialização não seria subir da 3.ª para a 2.ª, mas sim da 2.ª para a 1.ª. Hoje, quase 30 anos depois, este génio já leva nove subidas ao principal escalão do futebol português, alcançando agora a quarta consecutiva. Um autêntico rei da 2.ª Liga, que. na minha opinião, não irá parar por aqui. Muitos parabéns, míster!!!



Deixe o seu comentário

Assinatura Digital Record Premium

Para si, toda a
informação exclusiva
sempre acessível

A primeira página do Record e o acesso ao ePaper do jornal.

Aceder

Pub

Publicidade
apenas 1€ por mês
experimente sem compromisso e garanta o seu lugar na bancada da melhor informação deportiva.
  • conteudo record em qualquer sítio e a toda a hora
  • acesso no pc, tablet e smartphone
  • versão e-paper do jornal no dia anterior
  • conteudos exclusivos para assinantes
  • suplementos especiais