Visão periférica

Vítor Baía
Vítor Baía Antigo internacional

É (de novo) hora das polémicas

Pela amostra, parece que vamos ter um campeonato de novo voltado para polémicas. É incrível como os clubes não entendem de uma vez por todas que as viórias no futebol, as mais saborosas, são as que se conseguem dentro do campo, sem jogos de bastidores, sem guerras palermas, sem batalhas mesquinhas. Sim, a polémica ou a criação de polémica vai ser um prato forte. É o que dá a entender esta questão levantada pelo Benfica à volta de Brahimi e de uma suposta agressão (mão no pescoço) a um adversário do Chaves. O Benfica, como grande instituição que é ,devia ter outro tipo de peocupações, mais do que andar teimosamente a tentar o castigo a um adversário. E fá-lo porquê? Apenas para tentar desestabilizar e enfraquecer a equipa adversária. Enfim, jogadas ‘cheias’ de fair play que não são apanágio do Benfica, outros seguem estes caminhos, sem perceberem que as pessoas gostam é do futebol que se joga e não do que se fala. Parece-me que o FC porto está a lidar muito bem com esta situação do Brahimi, o presidente respondeu com ironia e, para já, ficamos por aí à espera que o Conselho de Disciplina seja pelo menos célere (justiça espera-se sempre) na decisão.

A polémica é uma palavra que também não sai do Sporting. O episódio, mais um, com Bruno de Carvalho é de uma falta de sensibilidade e é um absurdo. Na véspera de mais um jogo do Sporting, Bruno de Carvalho reapareceu em cena para relançar a confusão. Não me cabe a mim aqui avaliar as razões e quem as tem com mais propriedade, mas um clube que está a viver um processo eleitoral, normalmente um tempo para lavar roupa suja, como acontece em tantas eleições, não precisava de alguém para intranquilizar quem trabalha, e aqui falo concretamente dos jogadores de futebol e de todos os outros profissionais que estão em competição a defender o clube. Custa-me ver um clube da dimensão do Sporting, uma enorme instituição, a viver no meio deste dramatismo, a ser protagonista de cenas inadmissíveis como foi o ataque em Alcochete. Não acredito que haja um adepto feliz com o que se está a passar no Sporting desde há alguns meses.

Agora, sim, vou falar de futebol. O Jamor é hoje palco de um clássico do futebol português, um Belenenses-FC Porto. Aquele palco que torna a final da Taça um momento único no futebol português é agora palco do Belenenses, devido um desentendimento entre a SAD e a direção do clube. É estranho (embora não seja virgem) que o Jamor seja palco de um jogo do campeonato. Normalmente, é a Taça que se joga ali. Mas é para lá que os portistas voltam hoje os olhos, talvez com nostalgia de estarem ali mas a jogar uma final da Taça de portugal como espero que aconteça este ano.


3
Deixe o seu comentário

Assinatura Digital Record Premium

Para si, toda a
informação exclusiva
sempre acessível

A primeira página do Record e o acesso ao ePaper do jornal.

Aceder

Pub

Publicidade
apenas 1€ por mês
experimente sem compromisso e garanta o seu lugar na bancada da melhor informação deportiva.
  • conteudo record em qualquer sítio e a toda a hora
  • acesso no pc, tablet e smartphone
  • versão e-paper do jornal no dia anterior
  • conteudos exclusivos para assinantes
  • suplementos especiais

Copyright © 2020. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.