Visão periférica

Vítor Baía
Vítor Baía Antigo internacional

Mudança de estratégia

Num encontro de exigência máxima, o FC Porto deu uma resposta negativa a todas as interrogações que se colocavam antes da estreia na Champions. A arrasar no campeonato português, como já não se vê há algum tempo, o FC Porto criou uma enorme expectativa para o jogo com o Besiktas, os adeptos foram em peso e acreditaram numa vitória. Deram tudo pela equipa, a equipa também deu tudo para vencer o jogo, mas não conseguiu.

Cedo se percebeu que este FC Porto está curto para as competições europeias, porque a falta de um avançado como Aboubakar não pode por si só explicar o desaire – e se fosse suficiente é porque algo estaria mal. O FC Porto teve muitas dificuldades para formar este plantel, não pôde ir ao mercado, ao contrário da concorrência, e não se pode exigir muito a um grupo que tem naturalmente algumas falhas, porque não se pôde reforçar como o treinador e todos no clube gostariam.

Há um caminho certo: não fazer desta derrota um drama;
outro, que pode ser percorrido ao mesmo tempo, continuar a vencer em Portugal e repensar a estratégia para o próximo jogo da Champions. A equipa deve responder com a mesma alma no jogo de hoje em Vila do Conde, que será mais um teste complicado no campeonato, porque o Rio Ave tem estado impecável na prova.

Do rescaldo das competições europeias tenho de me surpreender também com a derrota do Benfica, em casa, com um adversário que lhe é inferior. Alguns sinais de fragilidade que não têm sido habituais marcaram este início do Benfica na Champions, que, fruto de um momento mais confuso, em que tudo começa a questionar-se, até a recomposição do plantel, depois das saídas de Ederson, Nélson Semedo e Lindelöf. É um Benfica que estará sempre em exame enquanto não se libertar dessa ideia de ter falhado quando foi preciso suprir as faltas.

Airoso segue o Sporting que está com o moral em alta com mais uma vitória que surpreende, por ter ter sido em casa do Olympiacos, onde nunca é fácil jogar, quanto mais vencer. O Sporting deu um passo importante para ganhar o terceiro lugar do grupo ou, mais do que isso, porque há sempre a esperança numa gracinha nos jogos com o Barcelona e a Juventus. Um grande início de época dos leões.

No Minho, também há sorrisos depois da extraordinária vitória do Braga em casa do Hoffenheim, acabadinho de vencer o Bayern de Munique. Abel está de parabéns pela estratégia que montou e pela personalidade que a equipa revelou, mesmo começando a perder o jogo. Tantos sorrisos não podem mostrar os vimaranenses, que empataram com o Salzburgo em Guimarães. Um empate que foi um mal menor, mas melhores dias virão.

Deixe o seu comentário

Assinatura Digital Record Premium

Para si, toda a
informação exclusiva
sempre acessível

A primeira página do Record e o acesso ao ePaper do jornal.

Aceder

Pub

Publicidade
apenas 1€ por mês
experimente sem compromisso e garanta o seu lugar na bancada da melhor informação desportiva.
  • conteúdo record em qualquer sítio e a toda a hora
  • acesso no pc, tablet e smartphone
  • versão epaper do jornal no dia anterior
  • conteúdos exclusivos para assinantes
  • suplementos especiais

Copyright © 2019. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.