Visão periférica

Vítor Baía
Vítor Baía Antigo internacional

Um grande clube, um grande nome

O FC Porto eliminou o V. Guimarães da Taça de Portugal num jogo em que voltou a revelar a sua capacidade goleadora – aliás, são 14 golos em três jogos o que diz bem do apetite desta equipa tão bem orientda por Sérgio Conceição. Revelou, mais uma vez, que está no caminho certo e alheada de todas as polémicas que continuam a ferir o futebol português, embora também tenha razões de queixa por decisões menos felizes dos árbitros. Com o FC Porto sempre foi assim, tem de ser muito mais forte do que os outros para conquistar títulos. Lembro-me bem dos períodos de grandes vitórias, nacionais e internacionais, em que tivemos de lutar contra tudo e contra todos, tendo de aguentar com abordagens injustas e que colocavam em causa o nosso esforço e a nossa qualidade. Estes jogadores também já entenderam que têm de ser muito mais fortes do que os outros para chegarem aos títulos desejados.

Chega-se praticamente ao fim do ano e o FC Porto mantém-se em todas as frentes, até na Liga dos Campeões, honrando um percurso que tem uma história rica na prova milionária. Tocou-lhe em sorte o Liverpool, que não é a equipa mais forte de todas as que podia ter calhado, mas é um adversário de muito respeito, com um treinador ambicioso, Klopp, e que gosta de jogar ao ataque. Tal como este FC Porto de Sérgio Conceição que não se cansa na busca de golos.Será com certeza uma eliminatória divertida, mas difícil, para as duas equipas. Vejo boas hipóteses de o FC Porto passar e continuuar a sonhar. E esta equipa tem o direito de sonhar. Como disse Sérgio Conceição, ainda não ganhou nada, mas está sem dúvidas vestida para coneguir grandes vitórias e dar de volta a alegria aos adeptos que tanto merecem.

E vejo coisas muito boas neste grupo, para além das vitórias que vai conseguindo. Iker Casillas, por exemplo. Não é fácil a um guarda-redes com o passado e a qualidade que ele tem ver-se relegado para a condição de suplente. Também já senti isso na pele e não é de facto agradável, mas é preciso saber estar. Casillas foi chamado á titularidade neste jogo com o V. Guimarães e deixou bem claro o seu compromisso com o grupo. Aliás, todo o seu comportamento ao longo destas jornadas em que tem sido suplente são bem o reflexo da sua personalidade. Ninguém lhe ouviu uma frase de lamento ou uma reação menos feliz contra o clube ou contra o treinador. Iker Casillas só está a demonstrar que foi uma boa aquisição do FC Porto, arrojada, mas digna de um grande clube. Começa a falar-se na sua possível saída nesta janela de janeiro. Oxalá seja mentira e Casillas possa cumprir o contrato, porque ele será sempre uma mais valia para o FC Porto.

Deixe o seu comentário

Assinatura Digital Record Premium

Para si, toda a
informação exclusiva
sempre acessível

A primeira página do Record e o acesso ao ePaper do jornal.

Aceder

Pub

Publicidade
apenas 1€ por mês
experimente sem compromisso e garanta o seu lugar na bancada da melhor informação deportiva.
  • conteudo record em qualquer sítio e a toda a hora
  • acesso no pc, tablet e smartphone
  • versão e-paper do jornal no dia anterior
  • conteudos exclusivos para assinantes
  • suplementos especiais

Copyright © 2020. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.