Leonor Pinhão, Rui Calafate e Nuno Encarnação

Bancada de sócios

O título encaminhado para a Luz; a posição delicada de NES no Porto e as opções de Jesus...

1 - Após o empate em Alvalade (e da ajuda do Feirense no Dragão) ter permitido manter 3 pontos de vantagem, o Benfica pode considerar-se, desde já, virtual campeão?

2 - Com quatro igualdades nas últimas cinco jornadas, Nuno Espírito Santo pode ter o seu lugar ameaçado no Dragão caso falhe a conquista do título?

3 - Jorge Jesus deve manter Adrien como marcador preferencial dos penáltis, apesar de Bas Dost estar ainda na luta pela Bota de Ouro?

LEONOR PINHÃO (Benfica)

1 - De modo algum. O Benfica tem pela frente quatro jogos com adversários que merecem todo o respeito e não passará pela cabeça de ninguém com um mínimo de bom senso que o caminho até ao fim da Liga não vai exigir grande carga de trabalhos. Foi, aliás, essa a mensagem passada pelos jogadores do Benfica quando terminou o jogo em Alvalade. Vimos uma equipa relativamente satisfeita com o empate que lhe garantia continuar na liderança mas não vimos nada de esfusiante. Ainda bem.

2 - Dando-se o caso, ainda em discussão, de o Porto não ganhar o campeonato seria uma injustiça dispensar os serviços de Espírito Santo. Maior do que a injustiça seria a contradição em que o Porto cairia depois de ter acusado o ditador António de Oliveira Salazar, os e-mails, as ‘cartilhas’, os árbitros todos sem exceção, a imunidade do Pizzi, o brevet caducado da águia Vitória, o ‘centralismo’ e a imortal Mouraria de conluio contra o trabalho do seu inquestionável treinador.

3 - Jesus fará o que melhor entender para manter a sua equipa desperta nas quatro derradeiras jornadas do campeonato. Passado o jogo com o Benfica em torno do qual se criaram, naturalmente, as mais exacerbadas expectativas a pior coisa que pode acontecer ao treinador do Sporting não é o Bas Dost não ganhar a Bota de Ouro. É ser chamado pelo presidente do clube/entidade patronal para justificar, formalmente, o pecaminoso abraço trocado com Luís Filipe Vieira no final do dérbi.

RUI CALAFATE (Sporting)

1 - Julgo que não. O campeão não se anuncia por decreto nem por reservas antecipadas do Marquês, por isso há que respeitar os adversários, saber que ainda há jogos complicados e recuperar uma série de jogadores que parecem desgastados. Rio Ave (fora) e Vitória de Guimarães são adversários temíveis e Boavista, no Bessa, e Estoril, que tantas dores de cabeça deu na Taça de Portugal, não podem ser menosprezados. Os encarnados estão bem encaminhados mas ainda há pedras no caminho.

2 - Pinto da Costa habituou a uma certa estabilidade. Renovou um dia com Fernando Santos depois de uma derrota em casa para a Taça em que os lenços brancos não pararam de esvoaçar e a contestação ao técnico era quase imparável. Nuno Espírito Santo só convenceria as exigentes bancadas do Dragão com a conquista do título, pois nunca se consolidou no coração dos adeptos como treinador. O seu discurso não motiva, há vários lapsos no seu sistema que muitas vezes muda. Não está seguro.

3 - Adrien é o capitão e a primeira escolha de Jorge Jesus para a marcação de grandes penalidades. Em virtude da lesão que sofreu e do objetivo colocado na vitória de Bas Dost na Bota de Ouro, o holandês converteu vários castigos máximos com eficácia. Até ao final da temporada, creio que JJ voltará a apostar no melhor goleador leonino para essa função para lhe dar mais golos e mais projeção.

NUNO ENCARNAÇÃO (FC Porto)

1 - Este campeonato não está nem de longe nem de perto decidido. A qualidade que os três grandes apresentam não é constante e uniforme. A eficácia tem sido o pior mal dos grandes clubes. Não têm sido competentes no ataque, mas sobretudo eficazes no eixo defensivo. Com esta matriz comum aos três, é difícil arriscar num resultado final.

2 -  É evidente que começa a ser preocupante. O grande problema no Porto nesta época é o de conseguir marcar golos. Tudo o resto funciona, mas colocar a bola dentro da rede tem sido um drama. Há juventude, há querer, há intensidade, há remates à baliza, mas não há golos condizentes com tanta produção. É caso para dizer ‘Há mas são verdes…’

3 - Adrien apenas marcou aquele penálti porque Jesus queria mesmo ganhar ao Benfica. Adrien dá mais garantias, mas não tenho dúvida que contra qualquer outra equipa Jesus voltará a escolher Bas Dost para marcar um novo castigo máximo. Acho mesmo que a grande prioridade do Sporting até ao final do campeonato deveria ser a conquista da Bota de Ouro por parte de Dost.

Deixe o seu comentário

Assinatura Digital Record Premium

Para si, toda a
informação exclusiva
sempre acessível

A primeira página do Record e o acesso ao ePaper do jornal.

Aceder

Pub

Publicidade
apenas 1€ por mês
experimente sem compromisso e garanta o seu lugar na bancada da melhor informação desportiva.
  • conteúdo record em qualquer sítio e a toda a hora
  • acesso no pc, tablet e smartphone
  • versão epaper do jornal no dia anterior
  • conteúdos exclusivos para assinantes
  • suplementos especiais

Copyright © 2019. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.

0