Escrevem os leitores

O árbitro do FC Porto-Borussia Dortmund

• Foto: Lusa

O afastamento prematuro do Futebol Clube do Porto, da Liga Europa, referente à época de 2015/16, especialmente no que diz respeito e no que toca mais especificamente ao jogo da 2ª. mão dos 16 avos de final daquela competição, frente ao Borussia Dortmund, o forte representante alemão e depois de um resultado negativo, obtido pelos comandados do técnico José Peseiro, fora por 0-2, obrigava ao conjunto azul e branco a uma recuperação, no seu próprio estádio, de virar o tal resultado negativo que sofreu na 1ª. mão em terras germânicas, que permitisse assim aos azuis e brancos, puderem seguir em prova e passarem aos oitavos de final desta competição.

Mas a sorte do jogo ficou praticamente resolvida e traçada quando o Borussia Dortmund, aos 23 minutos da primeira parte e através de um autogolo do seu guarda-redes espanhol, campeão da Europa e mundial pela Espanha, Iker Casillas (escreve a imprensa de hoje), não tivesse cometido tal falhanço, caindo por terra todas as aspirações do FC Porto, mas procedido de um gigantesco fora de jogo, do tamanho da Torres dos Clérigos, igualmente um penalti sobre o sul-coreano Suk Hyun-Jun, não assinalado pelo árbitro inglês Senhor Mark Clattenburg e os seus auxiliares, que quiseram ignorar por completo, tais situações prejudicando claramente o Futebol Clube do Porto.

Perante estas realidades e destas enormes gaffes então cometidas pelo árbitro inglês, que com este golo em fora de jogo e do não assinalar a grande penalidade, deitou assim por terra todas e quaisquer aspirações do clube de Jorge Nuno Pinto Costa, em recuperar o resultado negativo trazido da Alemanha e assim de poder seguir em frente na Liga Europa. É caso para o dirigente como de costume fazer e é por hábito fazer em relação à I Liga Profissional de Futebol cá no nosso burgo, aproveitar a ocasião e culpar "quiçá" a nomeação daquele árbitro inglês, por parte "quiçá" de Vitor Pereira, Presidente do Conselho de Arbitragem (CA).

Estou cá para ver, qual a reacção por parte dos responsáveis do Futebol Clube do Porto, sobre a análise, àquele fora de jogo e ao não marcar a grande penalidade e a completa ignorância do árbitro inglês sobre os dois lances.

Deixe o seu comentário

Assinatura Digital Record Premium

Para si, toda a
informação exclusiva
sempre acessível

A primeira página do Record e o acesso ao ePaper do jornal.

Aceder

Pub

Publicidade
apenas 1€ por mês
experimente sem compromisso e garanta o seu lugar na bancada da melhor informação deportiva.
  • conteudo record em qualquer sítio e a toda a hora
  • acesso no pc, tablet e smartphone
  • versão e-paper do jornal no dia anterior
  • conteudos exclusivos para assinantes
  • suplementos especiais

Copyright © 2020. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.