Estou doente do coração

O Sporting perdeu com o Legia, depois com o Benfica e, por fim (espero eu), com o Braga. Ou seja, no espaço de 2 semanas deixámos a Liga Europa, que já seria um objectivo modesto, e perdemos a oportunidade de liderar o campeonato, chegando mesmo a comprometê-lo severamente. Numa instituição que se preza pela excelência, resultados como estes são inaceitáveis e .. Além disso, temos um Presidente que, não obstante a notável recuperação que fez do clube, parece ter perdido a noção do ridículo e um treinador que, enfim, nunca a teve.

Começando pelo segundo, confesso que quando JJ veio para Alvalade houve um certo conflito: por um lado fiquei satisfeito, já que era alguém com provas dadas e tínhamos ferido o rival, por outro, expectante, porque se tratava de um all-in, como se diz no poker. A verdade é que rapidamente as dúvidas se desvaneceram, embalado pelos bons resultados e notória evolução do nosso futebol (de realçar os 0-3 na Luz e os 2-0 em casa ao FC Porto). Mas depois perdemos o campeonato, reforçamo-nos mal no verão e agora estamos em quarto. A equipa estagnou e, neste momento, encontra-se inclusive em processo de regressão. Já não consigo defender Jorge Jesus (pai, tinhas razão). Já não consigo ignorar as suas constantes gaffes, arrogância e comportamentos impróprios de um treinador do Sporting Clube de Portugal. Penso que temos de encarar este mister como alguém que executou um bom trabalho, fez parte de um processo e agora deve partir.

Não considero, no entanto, que Bruno de Carvalho seja um caso perdido. Quando ele assumiu a liderança, vínhamos da pior classificação da história, um miserável 7º lugar, de um rodopio de treinadores e de presidências incapazes. Entretanto, o estádio voltou a encher e a vibrar como nunca antes vira; construiu-se um pavilhão para as modalidades; valorizaram-se jogadores de forma inédita; houve um contributo directo para a conquista do Europeu pela selecção nacional (que orgulho!) e o título deixou de ser uma miragem. É certo que o caso Carrillo, a dívida à Doyen e o circo que se gerou à volta do Sporting são situações difíceis de digerir, contudo, o balanço tem de ser positivo. Eu vejo Bruno de Carvalho como um indivíduo competente e que defende os interesses do nosso clube até ao limite das suas forças, precisa é de melhorar alguns aspectos que têm mais a ver com a imagem que passa para o exterior do que com a qualidade do seu trabalho.

Dito isto, creio que vivemos uma crise única e exclusivamente desportiva, mas que tem de ser gerida com mestria, sob pena de se tornar numa crise estrutural (basta olhar para a quantidade de candidaturas à presidência que surgiram nas últimas 24 horas). A última poderia ter efeitos nefastos no clube, desviando-nos de um caminho que eu julgo ser o correcto. O SCP não se pode dar ao luxo de dar mais espaço aos rivais. Já lhes demos 30 anos de avanço, quanto tempo daremos mais?

Deixe o seu comentário

Assinatura Digital Record Premium

Para si, toda a
informação exclusiva
sempre acessível

A primeira página do Record e o acesso ao ePaper do jornal.

Aceder

Pub

Publicidade
apenas 1€ por mês
experimente sem compromisso e garanta o seu lugar na bancada da melhor informação desportiva.
  • conteúdo record em qualquer sítio e a toda a hora
  • acesso no pc, tablet e smartphone
  • versão epaper do jornal no dia anterior
  • conteúdos exclusivos para assinantes
  • suplementos especiais

Copyright © 2019. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.

0