"Les Bleus" e a sua desmesurável fornada de jovens talentos

De tempos a tempos, os deuses do futebol resolvem abençoar um determinado país com uma geração extremamente talentosa de jogadores.

Pois bem, posteriormente a ser eliminada na fase de grupos do UEFA EURO 2008 e do FIFA WORLD CUP 2010 (em ambos os casos, ficou no último lugar do seu respectivo grupo, com apenas 1 ponto obtido), a ser derrotada pela Espanha nos quartos-de-final do UEFA EURO 2012 e a cair também nos quartos-de-final do FIFA WORLD CUP 2014 perante a seleção que se viria a consagrar campeã do Mundo (refiro-me, claro está, à "Mannschaft"), parece que os olhares do Olimpo no que ao desporto rei diz respeito se voltaram novamente para a nação gaulesa.

Campeã do Mundo em 1998, campeã da Europa nos anos de 1984 e 2000, vice-campeã mundial em 2006 (perdeu a final no desempate através da marcação de grandes penalidades frente à Itália, num jogo que marcou (e manchou) o fim da carreira profissional de ‘Zizou’, quando este foi expulso após ter dado uma cabeçada no peito de Marco Materazzi) e vice-campeã europeia no ano passado (no Stade de France, em Saint-Denis, aos 109 minutos, um golo de Éder vergou por completo "les tricolores"), França é apontada como uma das potências do futebol de seleções.

Nomes como Just Fontaine, Raymond Kopa, Jean Tigana, Michel Platini, Jean-Pierre Papin, Éric Cantona, Laurent Blanc, Youri Djorkaeff, Didier Deschamps, Emmanuel Petit, Fabien Barthez, Marcel Desailly, Lilian Thuram, Bixente Lizarazu, Claude Makélélé, Patrick Vieira, Robert Pirès, David Trezeguet, Thierry Henry, Ludovic Giuly, Franck Ribéry, Karim Benzema e Zinedine Zidane (no meu modesto ponto de vista, o melhor de todos) já entoaram "La Marseillaise" e representam modelos perfeitamente justificativos quando pretendemos afirmar que classe e magia é algo de que eles não carecem. Obviamente, devemos levar em conta que a seleção capitaneada atualmente por Hugo Lloris é multicultural, ou seja, ao longo de décadas englobou nas suas escolhas jogadores considerados de origem ‘não-genuinamente’ francesa (filhos de imigrantes, mais concretamente).

Eis que, finalmente, depois da decadência da turma vitoriosa do final do século 20/princípio do século 21, nos encontramos anexados a um ciclo transitório de explosão virtuosa. Por outros vocábulos, nas principais ligas do "Velho Continente", esbarramos com 21 (sim, 21!) reais promessas/certezas do futebol francês, todas elas com idade igual ou inferior a 25 anos.

Começando pela liga do país em causa, verificamos que 2/3 dessas individualidades atuam em clubes franceses.

No AS Monaco FC, Benjamin Mendy (22 anos), Djibril Sidibé (24 anos), Kylian Mbappé (18 anos), Thomas Lemar (21 anos) e Tiémoué Bakayoko (22 anos);

No Olympique Lyonnais, Alexandre Lacazette (25 anos), Corentin Tolisso (22 anos), Maxwel Cornet (20 anos) e Nabil Fékir (23 anos);

No Olympique de Marseille, Florian Thauvin (24 anos);

No Paris Saint-Germain FC, Adrien Rabiot (21 anos), Alphonse Aréola (24 anos), Layvin Kurzawa (24 anos) e Presnel Kimpembe (21 anos).

As restantes 7 unidades estão divididas pelas 3 primeiras ligas europeias no ranking das competições de clubes da UEFA.

Na liga espanhola, Aymeric Laporte (Athletic Club Bilbao, 22 anos), Lucas Digne (FC Barcelona, 23 anos) e Samuel Umtiti (FC Barcelona, 23 anos);

Na liga alemã, Kingsley Coman (FC Bayern Munich, 20 anos) e Ousmane Dembélé (BVB 09 Dortmund, 19 anos);

Na liga inglesa, Anthony Martial (Manchester United FC, 21 anos) e Kurt Zouma (Chelsea FC, 22 anos).

Isto tudo sem "chamar à baila" 4 elementos que já pertencem ao topo do Universo futebolês:

1º) Antoine Griezmann – Acabadinho de completar o seu vigésimo sexto aniversário, o avançado com ligações familiares a Portugal foi finalista vencido da UEFA Champions League na época transata, melhor marcador do UEFA EURO 2016 e 3º melhor jogador do Mundo para a FIFA em 2016. Um ano de sonho (ou de pesadelo, dependendo das perspectivas) para o avançado "colchonero".

2º) N'Golo Kanté – Com 25 anos de idade, este médio fez parte da equipa do Leicester City FC que, em 2015/2016, conquistou de forma inédita a Premier League. Esta temporada, vai extremamente bem encaminhado para repetir a façanha, desta feita com a camisola do Chelsea FC. O Claude Makélélé da modernidade.

3º) Paul Pogba – Aos 24 anos, é já a maior transferência da história do futebol a nível monetário de um clube para outro (aparentemente, o Manchester United FC desembolsou 105 milhões de euros nos cofres da "Vecchia Signora" para o fazer retornar a Old Trafford). Esteve no 11 do ano de 2015 para a FIFA e, além de ser um médio com caraterísticas excecionais, é um protótipo de marketing para o seu clube, para a sua seleção e, sobretudo, para a marca que o patrocina, a adidas.

4º) Raphaël Varane – Um dos defesas-centrais mais velozes do futebol contemporâneo.
Tem 23 anos de idade, está no Real Madrid CF desde os seus 18 e, com o escudo merengue, já venceu duas Ligas dos Campeões, dois Campeonatos do Mundo de Clubes, duas Supertaças Europeias, uma Liga Espanhola, uma Copa del Rey e uma Supercopa de España.

Antes de concluir, destacar 17 nomes de jogadores franceses que podem vir a singrar no futebol europeu, visto usufruírem ainda de uma larga margem de progressão: Alban Lafont, Allan Saint-Maximin, Christopher Nkunku, Dayot Upamecano, Gaëtan Poussin, Imad Faraj, Issa Diop, Jean-Kévin Augustin, Jonathan Ikoné, Lorenzo Callegari, Malang Sarr, Moussa Dembélé, Moussa Diaby, Raouf Mroivili, Simon Cantrel, Stéphane Diarra e Yann Karamoh.

O lema francês assenta em 3 alicerces cruciais: Liberté, Égalité e Fraternité.

Se não for pedir muito (e fazendo uma alusão exclusiva ao jogador de futebol com raízes daquele país), desejaria acrescentar mais um: Qualité.

Deixe o seu comentário

Assinatura Digital Record Premium

Para si, toda a
informação exclusiva
sempre acessível

A primeira página do Record e o acesso ao ePaper do jornal.

Aceder

Pub

Publicidade
apenas 1€ por mês
experimente sem compromisso e garanta o seu lugar na bancada da melhor informação deportiva.
  • conteudo record em qualquer sítio e a toda a hora
  • acesso no pc, tablet e smartphone
  • versão e-paper do jornal no dia anterior
  • conteudos exclusivos para assinantes
  • suplementos especiais

Copyright © 2019. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.