Reconquista Made in Seixal

O Sport Lisboa Benfica conquistou o 37º título da história do clube e sagrou-se campeão nacional da época 2018/2019.

Na última jornada da I Liga, o clube da Luz venceu o Santa Clara por 4-1, sangrando-se campeão com 87 pontos.

Esta conquista foi apelidada pelo clube como reconquista, fruto de um exemplar trabalho de Bruno Lage e dos seus jovens pupilos. Nos festejos do título perante os adeptos benfiquistas fez um discurso exemplar ao dizer: "Que esta reconquista também seja a forma de darmos mérito a quem ganhar. E tem que partir de nós agora. Começar a olhar para os nossos adversários. E quando eles ganharem também lhes dar mérito. Porque só assim, quando nós ganhamos, eles vão começar a dar-nos mérito. Fazer desta reconquista a reconquista do bom futebol. E que isto é apenas futebol. Há coisas mais importantes da nossa cidade e do nosso país pelas quais nós temos de luta"

Título que parecia praticamente inatingível até Bruno Lage assumir os comandos da equipa depois do despedimento de Rui Vitória em Janeiro, a segunda volta do clube encarnado foi simplesmente inédita, pois encontrava a sete pontos do líder F.C. Porto e acabou o campeonato com dois pontos de vantagem. O treinador proveniente da equipa B foi campeão, algo que não acontecia desde 1967, tornando-se no treinador mais novo de sempre a sagrar-se campeão pelo Benfica nos últimos 30 anos (tem mais um ano do que Toni, vencedor em 1994) é um epílogo lógico de um trabalho reconhecido por todos e que permitiu ganhar entrando a meio da época, algo que não acontecia desde 1967.Demonstrou ser o treinador que a equipa precisava e assim os adeptos e o campeonato conquistou.

A reconquista proveio de um plantel com experiência, classe e talento, pois atrás da juventude de um João Félix, Ferro ou Florentino estava a experiência de um Jonas, Samaris ou André Almeida, e assim atingiram um recorde de golos numa só temporada com 103 golos marcados e o avançado suíço Haris Seferovic assinalou 23 golos e foi o melhor marcador da I Liga.

O título foi festejado por meio milhão de adeptos, no Marquês de Pombal e um pouco por todo o país bem como o Mundo, vestiram-se de vermelho e branco, e o 38º título foi já pedido ao clube encarnado.

Esta conquista tornou-se especial para o clube pois muitos jogadores provieram da formação do clube, foi uma reconquista com grande cunho do Seixal, o que provou que o futebol português está a evoluir e com muito boa qualidade.

Deixe o seu comentário

Assinatura Digital Record Premium

Para si, toda a
informação exclusiva
sempre acessível

A primeira página do Record e o acesso ao ePaper do jornal.

Aceder

Pub

Publicidade
apenas 1€ por mês
experimente sem compromisso e garanta o seu lugar na bancada da melhor informação desportiva.
  • conteúdo record em qualquer sítio e a toda a hora
  • acesso no pc, tablet e smartphone
  • versão epaper do jornal no dia anterior
  • conteúdos exclusivos para assinantes
  • suplementos especiais