Doom: repleto de explosões, tiros, monstros, sangue e fogo

O clássico de 1993 está de volta e passa com nota positiva

Em 1993 o mundo jogou Doom pela primeira vez. Aclamado por jogadores, seguiram-se várias versões, umas boas, outras nem tanto. Agora chega-nos o reinício da série neste novo Doom que promete levar os jogadores aos seus limites.

Doom está repleto de explosões, tiros, monstros, sangue e fogo. É a alta intensidade que marca Doom e o torna viciante e divertido. Graficamente, consegue oferecer uma experiência detalhada e com fluidez. Aliás, é muito mais importante para a identidade de Doom conseguir fluidez do que gráficos de alto nível e podemos afirmar que não falha. Muito violento, surpreende pela ação constante e por cenários bem criados.

Outro aspeto técnico que eleva a qualidade é a banda sonora, por vezes pesada, por vezes frenética, criando um ambiente ideal para o que iremos enfrentar. A isso juntam-se bons efeitos sonoros e uma inteligência artificial dentro da média. A parte mais fraca é o seu enredo, algo previsível e sem conseguir oferecer algo de novo. No entanto, toda a experiência leva o jogador para a adrenalina das batalhas, deixando o enredo para segundo plano.

Obviamente que a jogabilidade é o essencial num jogo de sobrevivência em que qualquer falha é a diferença entre vida e morte. Doom é competente nos controlos que oferece e muito bom nas opções que vamos recebendo. O trunfo está no impressionante leque de armas disponíveis, quer pela diversidade, quer pelas possibilidades de upgrade.

Pressiona-nos a não desistir, a explorar e colecionar tudo o que está escondido pelos cenários. No final do jogo é interessante voltar aos primeiros níveis com as nossas novas armas e encontrar zonas antes impossíveis de alcançar.

Por fim, destaque para o multiplayer que, apesar de intenso, não traz nada de novo nos seus modos de jogo e um aplauso para a possibilidade de criação de mapas (muito bem conseguido). Doom consegue ser um bom jogo, mas o seu multiplayer não está ao nível que queríamos. No entanto, temos de lhe dar os parabéns pela sua intensidade e por levar os jogadores ao limite. E essa sempre foi a identidade da série.

A chegar: Gran Turismo Sport

A Sony anunciou que Gran Turismo Sport será lançado no dia 16 de Novembro. GTS terá 137 carros, 19 locais diferentes e 117 corridas offline. O trailer de apresentação deslumbra pelos seus gráficos e aumenta a expectativa sobre o primeiro Gran Turismo nesta geração de consolas. Agora é esperar e experimentar...

Por Luís Pinto
Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
Subscreva a newsletter

e receba as noticias em primeira mão

ver exemplo

Ultimas de Críticas

Notícias