PSVR: Eu já tenho o meu (e estou a adorar)

Realidade Virtual da PlayStation é nota 10

Demorou, mas foi. Há já algum tempo que estava de mira afinada para adquirir a PSVR, mas quis esperar pelo momento em que chegasse o primeiro grande jogo para a plataforma. E assim foi, depois de testar o popular e recente Farpoint no evento 4Gamers, em Lisboa, juntei as coroas e lá fui comprar o "pack".

No que diz respeito à tecnologia, só posso dizer que estou completamente rendido. Ter possibilidade de jogar em realidade virtual é mesmo o passo seguinte e fico feliz por o ter dado na altura certa. Numa fase em que as empresas se começam a dedicar de forma mais coerente a jogos e experiências para esta inovadora plataforma, é a altura de começar a embarcar nesta aventura.

O grau de imersão é total, obviamente, e estar naquele patamar de tecnologia aplicada aos videojogos é o topo da cadeia alimentar de um gamer que se preze. Existem dezenas de títulos com qualidade na PS Store e, para além disso, também já há muito material relativo a experiências VR que valem muito a pena.

De resto, com a compra do equipamento veio de brinde o Farpoint, aos quais juntei os títulos grátis da Playstation Store e as tais experiências. Resultado – recebi pela primeira vez a indicação de que estava com pouco espaço no disco da PS4. Apagados os excessos, lá fiquei com uma biblioteca praticamente nova e recheada de coisas boas.

Nos próximos tempos vou dar gás a uma série de títulos e aqui estarei para reportar o que achei deles. Por agora posso assegurar que nomes como Until Dawn: Rush of Blood, Static, Resident Evil 7 e o já referido Farpoint estão com uma qualidade assinalável. Mas há mais… Quero testar VR Worlds, que pela demo promete ser de qualidade, Robinson The Journey, Job Simulator, entre muitos outros.

Só falta deixar uma nota bem clara sobre os efeitos que a tecnologia VR tem sobre o corpo humano. Sim, há um ligeiro desconforto e mau estar e convém mesmo respeitar de forma séria as indicações dadas com o produto. Não fiquem horas a jogar sem pausas e não se estiquem nos jogos onde a velocidade é nota dominante. Obviamente desrespeitei as indicações na primeira noite de "testes"(é praticamente impossível com a excitação) e o jantar ainda fez um rally valente pela zona do meu estômago. Mas sobrevivi e isso é o mais importante, porque posso jogar mais...

Segue o Record Gaming no Facebook - https://www.facebook.com/RecordGamingPT  

Envia as tuas questões para – joaoseixas@record.pt 

Por João Seixas
Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
SUBSCREVA A NEWSLETTER RECORD GERAL
e receba as notícias em primeira mão

Ultimas de Record Gaming

Notícias

Notícias Mais Vistas

Copyright © 2019. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.