Maratona de Nova Iorque: a experiência de Susana Esteves Nunes

O relato na pela de uma espectadora da prova nova iorquina

Fora da pista... 

Um dia atípico... um dia que jamais esquecerei.

Nunca fui muito "dada" a corridas, mas tudo mudou depois de assistir à maratona de Nova Iorque.

Encontrámo-nos todos no aeroporto de Lisboa, éramos doze pessoas, mas apenas seis de nós iam participar naquela grande aventura. 

Memo sem entender ( muito) do assunto, sempre ouvi dizer que era uma das maratonas mais difíceis, e temia que alguns dos "meus" não a conseguisse concluir. 

O ambiente era incrível! E por "milagre", conseguimos um espaço junto ao quilómetro 42 para assistirmos à chegada de todos os nossos amigos. Cada um deles levava o seu objetivo bem definido, e, felizmente, todos eles o cumpriram. Todos chegaram ao fim, e todos de boa saúde! Para mim, isso já é motivo de grande orgulho.

E nós, que estávamos na retaguarda a fazer de "claque", passamos a fazer, também, parte daquela história. De bandeira em punho, gritámos, aplaudimos... E dávamos "high five" a todos os que procuravam algum incentivo naquela reta final... E quando passava algum dos "nossos", ou algum compatriota, a euforia era ainda maior!!! Aquela frase " A união faz a força" passou a ter ainda mais sentido naquele cenário incrível! A verdade é que conseguimos envolvermos no enredo de uma história que passou a ser nossa (também). As pernas vacilavam de cansaço, e a fraqueza provinda da falta de alimentação também não ajudava. Mas não arredámos o pé dali até chegar o último dos "nossos" corredores! Se nós estávamos a perder as forças, nem podia imaginar o estado de espírito de todos os outros que corriam em direção à meta! Alguns deles quase desfaleciam à nossa frente, mas depois do incentivo de alguns desconhecidos - "Come on!!!"- dizíamos nos aos gritos! Eles erguiam a cabeça, e desatavam a correr para a meta como se não tivessem (já) 42 quilómetros nas pernas. Demonstrando bem que metade daquela prova é feita com as pernas, e a outra metade com a cabeça e com o coração!

Quanto aos "meus" campeões, foram incríveis. Passou o primeiro e o segundo quase em simultâneo, e nós entrámos em histeria! O terceiro algum tempo depois e nós, mais uma vez, erguendo " A bandeira nacional" vozeávamos o seu nome! Dali a um tempo passou o quarto dos "nossos", que por acaso era bem "meu"! Era o meu marido... que me passou em frente aos olhos mas do outro lado da estrada! E nós, a "claque" voltamos a "berrar" e a vozear o nome dele! E sem ninguém esperar atravessou a pista para me vir abraçar! Afinal eu sabia bem o que ele havia passado para chegar até ali. Os treinos, os medos... Percebi que era uma forma de me dizer: Obrigado! E eu desmanchei-me em lágrimas por isso. O quinto dos "nossos" passou também e, embora cansado, o seu semblante mostrava bem a felicidade que sentia por conseguir terminar aquela fantástica maratona! E por fim o "nosso" último campeão, que se havia lesionado há uns meses e que apenas ia fazer alguns quilómetros daquela prova. Mas os campeões são assim mesmo! Não sei o que lhe passou pela cabeça... a verdade é que também ele chegou à meta e completou aquela incrível maratona de Nova Iorque!

Estou tão orgulhosa deles!!! No meio de tantas pessoas ainda conseguimos ver a Belinha! Mais uma vez de bandeira em punho, vozeámos o seu nome em euforia para lhe demostrar o nosso apoio português! E ela retribuiu com um sorriso rasgado. 

Em suma... O meu marido havia conseguido "arrastar-me" para aquela aventura, pois era um sonho antigo para ele... Logo, era também importante para mim. Hoje agradeço-lhe... Nunca pensei que, assistir aquela maratona, me trouxesse tantas coisas boas! Tantas emoções e tantas provas de superação. Acho que todas aquelas pessoas me transmitiram força e coragem... Temos o dever de correr atrás dos nossos objetivos sejam eles quais forem. São momentos inenarráveis, momentos que vou guardar para sempre na minha memória. 

A felicidade são pedaços de bons momentos que colecionamos e guardamos num lugar secreto do nosso coração, e eu, vou guardar todos eles. Todos os momentos, e todas as pessoas que os partilharam comigo. E por tudo isso, aconteça o que acontecer, ficarão  para sempre no meu coração! Eles, e a maratona de Nova Iorque!

Autora: Susana Esteves Nunes

Participaste na Maratona de Nova Iorque ou em qualquer outra prova nos últimos tempos? Partilha a tua experiência, enviando para o email recordptrunning@gmail.com o teu texto acompanhado de uma (ou várias) fotografia.

Deixe o seu comentário
SUBSCREVA A NEWSLETTER RECORD GERAL
e receba as notícias em primeira mão

Ultimas de Record Running

Notícias

Copyright © 2019. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.