Quénia proíbe saída dos atletas do país durante um mês

Medida foi comunicada pelo Ministro do Desporto e Cultura

O Ministério do Desporto e Cultura do Quénia decretou esta segunda-feira que todos os seus atletas estão proibidos de sair do país por um período de um mês devido à situação em torno do coronavírus. A decisão foi comunicada aos presidentes de todas as federações nacionais e tem como propósito "salvaguardar a saúde pública".

Imposta a 9 de março, esta proibição irá perdurar até 9 de abril, algo que impedirá a saída de algumas das principais figuras do atletismo do país para disputar a Meia Maratona de Nova Iorque, marcada para 15 de março. Ainda assim, os efeitos pode não ficar-se por aí, já que sendo a situação bastante imprevisível, a possível extensão da proibição está em cima da mesa e poderá colocar em risco a saída dos atletas também para a Maratona de Boston (20 de abril) e para a Maratona de Londres (26 de abril).

A confirmar-se a proibição de saída por altura desta última prova, cairá por terra o duelo mais esperado do ano no atletismo, já que caso não possa deixar o país o queniano Eliud Kipchoge não terá possibilidade de se enfrentar com Kenenisa Bekele.

Por Fábio Lima
Deixe o seu comentário
Subscreva a newsletter

e receba as noticias em primeira mão

ver exemplo

Ultimas de Record Running

Notícias

Copyright © 2020. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.