Sara Moreira e Sara Catarina Ribeiro desistem em Roterdão e Viena

Domingo azarado para as atletas portuguesas

• Foto: Getty Images

Num domingo repleto de maratonas e meias maratonas um pouco por toda a Europa, duas das grandes esperanças portuguesas para conseguir o apuramento olímpico acabaram por não ter as performances que certamente ambicionavam. Presentes à partida das Maratonas de Roterdão e Viena, ambas com expectativas elevadas, Sara Moreira e Catarina Ribeiro acabaram por desistir nas respetivas provas, deixando desta forma para uma outra oportunidade a tentativa da obtenção do mínimo para Tóquio'2020.

A primeira apresentou-se em Roterdão com a expectativa de ser a primeira a deixar bem encaminhado o passaporte para o Japão, mas acabou por desistir ainda antes da meia maratona, devido a uma indisposição. O seu último ponto de passagem foi aos 15 quilómetros, onde passou em 51:29 minutos.

Em Roterdão, refira-se, Luís Pereira foi o melhor português, no 41.º posto, com 2:25:33 horas, a mais de vinte minutos do vencedor, o queniano Marius Kipserem, que voou para um novo recorde do percurso, com 2:04:11. Atrás deste, mas bem longe, ficaram o turco Kaan Özbilen (2:05:26) e o queniano Emanuel Saina (2:05:42). Já nas senhoras, Ashete Bekere venceu com 2:22:52 horas, à frente de Stella Barsosio (2:23:34) e Aliphine Tuliamuk (2:26:48).

Praticamente à mesma hora e ligeiramente ao lado, em Viena era a vez de Sara Catarina Ribeiro procurar a sua sorte... mas também com o mesmo desfecho de Sara Moreira. Ainda chegou a superar a barreira dos 25 quilómetros, onde passou em sexto - com 1:26:04 horas -, mas acabaria também ela por encostar, isto numa altura na qual seguia com larga vantagem sobre a sétima e com estimativa de tempo final de 2:25:16.

Quanto à vitória final, e num pódio totalmente queniano, Nancy Kiprop venceu nas senhoras com 2:22:12, à frente de Angela Tanui (2:25:37) e de Maurine Chepkemoi (2:26:16). Já nos homens, triunfou o também queniano Vincent Kipchumba, com 2:06:56, superiorizando-se ao suíço Tadesse Abraham (2:07:24) e ao ugandês (2:08:25).

Portugueses em ação nas 'meias'

Para lá das maratonas acima citadas, o domingo foi também marcado pela realização de várias meias maratonas, com especial destaque para Nuno Lopes, que foi 21.º na de Berlim, com 1:06:02 horas. Rui Pinto estava na lista de inscritos, mas neste mesmo domingo optou por marcar presença na Corrida do Benfica.

Nota para a prova feminina de Berlim, onde a holandesa Sifan Hassan venceu com 1:05:45 horas, isto numa prova na qual entrava com ambição de quebrar o recorde do Mundo feminino da meia, ainda na posse da queniana Joyciline Jepkosgei, com 1:04:51.

Por fim, de notar ainda a estreia da Maratona Vig-Bay, com o português Henrique Costa a ser terceiro, com 2:35:25, a apenas 13 segundos do segundo colocado e 22 de vencedor. Já na meia-maratona houve mesmo triunfo português, com Nuno Costa a ganhar com 1:06:58 horas, praticamente com um minuto de avanço para o segundo.

Deixe o seu comentário
Subscreva a newsletter

e receba as noticias em primeira mão

ver exemplo

Ultimas de Record Running

Notícias

Copyright © 2019. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.

0