Tempos canhão voltam a marcar o GP de Praga: dupla feminina faz história nos 10 quilómetros

Vencedores entraram diretamente para os melhores da história

Prova na qual já foram realizados alguns dos mais rápidos tempos da história dos 10 quilómetros - o recorde feminino de Joyciline Jepkosgei, de 2017, foi ali fixado -, a edição deste ano do Grand Prix de Praga voltou a ser palco de provas absolutamente voadoras, com especial destaque para o feito alcançado no setor feminino, onde pela primeira vez na história duas mulheres conseguiram acabar a mesma prova abaixo da meia hora.

As autoras do feito foram Sheila Chepkirui e Dorcas Jepchumba, que com um tempo de 29:57 (lutaram taco a taco até à meta) conseguiram entrar diretamente para o top-3 das mais rápidas da história num percurso elegível para recorde, apenas atrás do tal recorde de Jepkosgei, que há dois anos venceu com uns sensacionais 29:43 minutos.

E se na prova feminina houve um registo canhão, também na prova masculina se registou um tempo de realce, com o queniano Geoffrey Koech a vencer com 27:02 minutos, naquele que passa a ser o quarto tempo mais rápido da história - é o melhor do ano -, em igualdade com o registo de Haile Gebrselassie na QSI 10k Road Race de Doha, em 2002. Koech até passou aos 5 quilómetros a ritmo de recorde (13:24), mas acabou por perder ritmo na segunda metade e cruzou a linha de meta com 18 segundos atraso para o recorde 26:44 de Leonard Patrick Komon (fixado em 2010 na Singelloop Utrecht).

Por Fábio Lima
Deixe o seu comentário
SUBSCREVA A NEWSLETTER RECORD GERAL
e receba as notícias em primeira mão

Ultimas de Record Running

Notícias

Copyright © 2019. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.