Wings for Life World Run com participação recorde

Evento global juntou mais de 160 mil corredores em todo o Mundo

A correr ou a andar. Numa das corridas presenciais ou na aplicação móvel, em qualquer canto do Mundo. A Wings for Life World Run voltou este domingo a unir o planeta em torno de uma grande causa: o apoio à investigação científica que persegue a cura para as lesões na espinal medula. A nona edição, disputada este domingo também se correu em Portugal e quebrou vários recordes a nível global – a começar pela maior participação de sempre: 161 892 mil participantes nos cinco continentes.

Criada em 2014, a Wings for Life World Run é hoje sem dúvida um dos maiores eventos desportivos de caridade do planeta. A nona edição veio confirmar esta popularidade e a massiva adesão de entusiastas dos quatro cantos do mundo. Ao todo foram 161 892 participantes de 192 nações – incluindo Portugal – a correr por aqueles que não podem.

Esta impressionante mobilização foi criada com o objetivo de apoiar o trabalho da Fundação Wings for Life na dinamização da investigação científica, que tem por meta encontrar a cura para as lesões na espinal medula. E neste campo há já resultados animadores, como é o caso do estudo clínico suíço STIMO, que permitiu a dois pacientes que sofriam de paralisia participarem nesta edição já sem cadeira de rodas. As contas finais do dia trouxeram um resultado animador, com 4.7 milhões de euros angariados – a soma de todas as inscrições e donativos à escala global.

Em termos desportivos, a competição voltou a ser vivida com grande intensidade. O setor feminino foi o primeiro a celebrar, com a russa Nina Zarina a conquistar em Santa Mónica (Califórnia, EUA) o seu quarto título global, depois de cumprir precisamente 56 quilómetros. Nos masculinos, o nipónico Jo Fukuda superou a concorrência e foi o derradeiro atleta a ser ultrapassado pelo carro meta – aos 64,43 quilómetros.

A corrida voltou este ano ao formato tradicional organizado nas cidades de Viena (Áustria), Munique (Alemanha), Zug (Suíça), Lubliana (Eslovénia), Zadar (Croácia), Poznan (Polónia) e Izmir (Turquia). No resto do mundo, os participantes correram juntos graças à APP Wings for Life World Run, uns de dia, outros de noite, debaixo de sol extremo ou com baixas temperaturas exteriores: os 42 graus registados em Jaipur (Índia) foram a temperatura mais elevada, contrastando com os -8 da Gronelândia.

A Wings for Life World Run regressa para o seu 10º aniversário no dia 7 de maio de 2023, estando desde já as inscrições abertas.

Por Record
Deixe o seu comentário
Subscreva a newsletter

e receba as noticias em primeira mão

Ultimas de Record Running

Notícias