World Athletics prepara-se para proibir sapatilhas da Nike

'Irish Independent' adianta que organismo vai colocar um limite na grossura da meia sola

O jornal 'Irish Independent' revela esta segunda-feira uma notícia que pode cair que nem uma bomba no mundo do atletismo. É que, segundo aquele diário, a World Athletics estará a preparar-se para proibir a utilização dos modelos mais avançados da Nike - nomeadamente o Vaporfly 4%, Next% ou o AlphaFly (que apenas será lançado em 2020) - numa decisão que aparentemente irá colocar um limite quanto à grossura da meia-sola das sapatilhas.

Até ao momento, refira-se, as regras do organismo que regula o atletismo mundial declaram que as sapatilhas não devem ser construídas de forma a "dar vantagem ou ajuda injusta aos atletas" e têm de ser "razoavelmente disponíveis para todos os corredores". Ora, após uma investigação prolongada por parte de um painel de especialistas, do qual terão feito parte atletas, especialistas em ciência, ética, calçado e biomecânica, a World Athletics terá decidido alterar o seu regulamento, prevendo incorporar a tal regra muito em breve.

A confirmar-se a entrada em cena desta nova regulamentação, as marcas serão obrigadas a encontrar novas soluções para as suas sapatilhas de 2020, especialmente porque os modelos que foram sendo mostrados de olho no novo ano marcavam precisamente uma aposta em plataformas de meia-sola bem mais grossas do que o habitual.

Modelo marcou uma geração de tempos canhão

Lembre-se que a controvérsia em torno das Vaporfly surgiu após a recente vaga de tempos rápidos no atletismo, especialmente na maratona, que viu o recorde oficial masculino chegar já à casa das 2:01 - antes estava em 2:02:57, um registo fixado por Dennis Kimetto. O atual máximo, recorde-se, é detido por Eliud Kipchoge (2:01:39), atleta queniano que recentemente fez uma maratona (não oficial) abaixo das duas horas, isto num desafio privado no qual utilizou as Nike Alphafly, umas sapatilhas exclusivas para o evento em causa.

Aliás, a suposta influência dos modelos da marca norte-americana é tal que, dos 5 quilómetros à maratona, apenas um recorde não caiu com Vaporfly 4% ou Next% nos pés: o da meia-maratona, que em 2017 foi batido por Joyciline Jepkosgei em Valência com um modelo da Adidas.

Recordes batidos pelos modelos da Nike

Maratona (masculino): Eliud Kipchoge (2:01:39)
Maratona (feminino): Brigid Kosgei (2:14:04)
Meia-maratona (masculino): Geoffrey Kamworor (58:01)
10 quilómetros (masculino): Joshua Cheptegei (26:38)
5 quilómetros (masculino): Julien Wanders (13:29)
5 quilómetros (feminino): Sifan Hassan (14:44)

Por Fábio Lima
Deixe o seu comentário
SUBSCREVA A NEWSLETTER RECORD GERAL
e receba as notícias em primeira mão

Ultimas de Record Running

Notícias

Copyright © 2019. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.