Ana Lisa, a corredora asmática

O meu nome é Ana Lisa Vieira tenho 33 anos e sou natural de Faro. Quando tinha apenas 6 anos fui diagnosticada com asma, passei a infância e adolescência entre muita medicação, vários tratamentos e muitas precauções. Aprendi depressa que esta doença crónica me impedia de fazer algumas coisas, e entre fases boas e menos boas causava-me uma incapacidade física moderada a grave no meu dia-a-dia e, particularmente na prática desportiva. Apesar disto nunca deixei de tentar praticar desporto, pelo menos na escola, todos os professores sabiam da minha condicionante e eu também conhecia bem os meus limites. Felizmente ao longo dos anos a doença foi estabilizando e aos 25 anos consegui reduzir a medicação para praticamente nada. Sempre tendo consciência da minha doença e limitações, comecei a praticar mais atividade física, mas sempre na companhia do meu inalador. Comecei aos poucos a caminhar e depois a correr com uma amiga, e como me tinham oferecido um relógio que contava os quilómetros achava imensa piada ir-me superando aos poucos. Começou pela distância mais longa 1, 2, 3, 4km e mais tarde 10km a correr mas num ritmo tão lento que quase era caminhada e sempre de inalador na mão. Basicamente eu esforçava-me até não ter que utilizar o inalador, esse era o meu limite.

No entanto, o excesso de peso, cerca de 83kg, e as dores nas articulações começaram a incomodar e resolvi que tinha que fazer algo mais para ser mais saudável. Em 2013 fui pela primeira vez à Dietista, e foi elaborado um plano alimentar adaptado ao objetivo a que me propunha, que nessa altura era perder 20kg. Este foi o momento de viragem, eu queria atingir aquele objetivo que eu própria impus, e enquanto corria ia deixando os quilos para trás. Neste mesmo ano já com menos 10kg fiz a minha primeira prova oficial a Mamamaratona de Portimão na qual corri 10km, suados, orgulhosos e cheios de força. No mesmo mês estava noutra prova a melhorar o meu tempo nos 10km, e acho que foi quando percebi a emoção e alegria que sentia ao terminar uma prova e que me via a fazer "coisas destas" mais vezes. Continuei a treinar sozinha, a correr, a perder peso (o objetivo agora já era perder 25kg) e sem recorrer a medicação para asma. Comecei a correr mais uns quilómetros e em conversa de amigos dizeram-me que se corria 15km devia experimentar uma meia maratona (na altura nem sabia que eram  21km). Fiquei com aquilo na cabeça e resolvi experimentar correr 21km sozinha só para ver se conseguia. O percurso escolhido era onde já costumava treinar e passei quase o tempo todo a pensar: " Lisa tu consegues, tu consegues..."e consegui! Quando terminei estava "viva" muito viva, foi um sentimento de conquista e superação pessoal enorme, só pensava "eu consegui!", estava ofegante e cansada, mas um cansaço bom, emocionante e orgulhoso. Lembro-me de começar a sentir-me uma corredora, que em menos de 3 anos passou do correr zero a correr 21km. Decidi que iria então fazer UMA meia maratona oficial e escolhi a da nossa capital Lisboa em 2015. No entanto, no mesmo mês descobri a 1ªedição da Eco meia maratona de Vilamoura, e sendo a vila onde cresci tive de me inscrever. Acabei por fazer em 15 dias, duas meias maratonas a primeira em cerca de 2h19 e a segunda em 2h02. Lisboa foi uma experiência incrível uma dimensão e organização de prova que nunca tinha visto. A partir daqui desencadeei todo o meu percurso como corredora. Consegui perder os 25 kg, nunca mais utilizar o meu inalador da asma e tornar-me atleta amadora. 2018/2019 é a terceira época que sou federada individualmente e sigo com atenção o calendário das provas participando em todas as que posso. Fui campeã regional de fundo no meu escalão de sénior em 2016/2017, e vice-campeã em 2017/2018. Já tive a oportunidade de fazer mais de 20 meias maratonas oficiais, incluindo em Copenhaga e em Sevilha onde bati o meu record pessoal cerca de 1h45m. O meu objetivo é sempre continuar a dar o meu melhor, bater o meu record e continuar assim saudável. Graças à corrida tive oportunidade de visitar e conhecer muitos lugares e muitas pessoas que me tem ajudado e apoiado neste percurso. Tem sido uma viagem que acredito ser para a vida, pelo menos no que depender de mim. E mais do que tudo o que já posso ter ganho com as corridas o meu principal prémio é e será sempre a minha saúde física e emocional. Fiz uso de toda a minha determinação e força de vontade e "quebrei" todas as limitações que antes me faziam parar. Estou sempre focada em manter a asma adormecida, pois, a doença que por muito tempo me impediu de correr hoje é a minha motivação para continuar. Posso dizer com toda a convicção que correr mudou a minha vida.

Deixe o seu comentário
Subscreva a newsletter

e receba as noticias em primeira mão

ver exemplo

Ultimas de Histórias de superação

Notícias

Copyright © 2020. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.