Meia Maratona de Amesterdão: a experiência de Carlos Gomes

Domingo dia 20 de Outubro participei na Mizuno Halph Marathon de Amesterdão.

Não posso dizer que foi um sonho de criança, pois esse sempre foi ser jogador de futebol ou futsal, mas desde que cheguei ao atletismo já concretizei vários sonhos e domingo realizei mais um.

Uma prova que sempre via em televisão, as chegadas apoteóticas aos estádios olímpicos e aquela multidão toda a apoiar os atletas.

Vi no ecrã a nossa selecção ser campeã da Europa de meia-maratona em Amesterdão e sempre pensei para mim "aquilo é lindíssimo, quem sabe um dia estarei a fazer aquela prova".

A cidade é simplesmente brutal. Os canais, os cruzeiros, os monumentos, os parques, o rio Amstel é lindíssimo, tudo maravilhoso...

Cheguei lá e fiquei maravilhado com aquilo que tinha em meu redor, pensando para mim "vai ser maravilhoso correr aqui". E para ficar marcado na memória tinha de bater a minha marca pessoal, mas isso vem já a seguir!

Muita gente me falava na Red Light District, sempre tive curiosidade em ver se era o que me contavam... O que de facto me maravilhou naquela zona foi o ambiente e a quantidade de pessoas. Fez-me lembrar o São João do Porto. Como é possível uma rua pequenina ser tão movimentada?

Aproveitei para visitar tudo e aproveitar ao máximo...

Da parte da tarde de sábado o foco passou a ser os 21 quilómetros. Fazer o treininho de ativação e descansar ao máximo para estar em boa forma.

No domingo acordei com o processo normal pré-prova: levantar cedinho, tomar o pequeno-almoço e saída para o estádio!

A cidade estava deserta. Pois é, amigos, a cidade fecha para ver a prova. Durante o percurso do hotel até ao estádio não vi um estabelecimento aberto. Só polícia e ruas desertas; só se via atletas e pessoas nos passeios

O meu primeiro arrepio é a entrada para o Estádio Olímpico, com um mar de gente como nunca tinha visto numa prova. 45000 pessoas no total, mais os apoiantes lá dentro. Pensei para mim "ainda bem que parto na frente!"

E agora vamos à prova:

Uma organização brutal. Duas coisas que não vejo cá: caixas de partida enormes que até para aquecer dá e casas de banho dentro das caixas. Uma grande vantagem para os atletas sem dúvida!

Os abastecimentos foram impecáveis. Não falharam em nada e sempre com muita gente nos postos e bem identificados.

Uma das coisas que não vejo cá e acho importante são as esponjas para refrescar. Não estava muito calor mas é sempre bom. Depois o apoio aos atletas é brutal, as crianças a esticar as mãos... "Give me five for energy" era um dos cartazes visíveis!

Durante todo o percurso há gente, o trajecto é lindíssimo. Conseguia manter um ritmo 3'55, olhava em redor para tudo e parecia que não custava nada. Mas é óbvio que este ritmo se mantém com muito treino e muita determinação..

Fiz aquilo que tinha estipulado junto com o meu treinador: uma prova com cabeça e a partir do km estipulado apertei e o corpo reagiu bem .

Ao km 16 levei com boost de um apoiante que disse "Força Salgueiros". Pensei para mim "o quê? A 3000 km de distância de Paranhos?". O que é certo é que o disse, era um português de certeza, imigrante talvez ou apoiante de algum atleta que lá estava, mas aquela frase deu-me uma força que parecia que tinha tomado um gel da Maurten. O meu clube é universal e mais nada--

E o Salgueiros teve força e com Alma e Coração chegou ao km 21 a todo a velocidade conseguindo terminar na casa da 1h e 23 minutos.

Sentimento de alegria por ter superado a minha marca pessoal e ter terminado com toda a força e pujança que me caracteriza.

Fiz uma boa preparação para esta prova e consegui o objectivo principal que era divertir-me e superar-me!

Um dia de cada vez e cada vez estou mais forte...

A chegada ao estádio olímpico é uma coisa do outro mundo, quem por lá passa é que pode descrever a sensação.

Obtive uma grande prestação, honrei o meu país e o meu clube. 

Foi uma aventura absolutamente incrível numa cidade maravilhosa.

FUI FELIZ EM AMESTERDÃO 

Um conselho que dou a todos: "se têm sonhos lutem por eles"

Agora vou recuperar e depois preparar a minha próxima aventura internacional, que será a Maratona de Sevilha.

Até lá desejo bons treinos a todos e lutem pelos vossos sonhos , preparem-se bem e ide à luta. Sofre-se muito, é certo, mas a recompensa vale a pena, garanto-vos que vale. 

Beijinhos e abraços 
Carlos Gomes 
Sport Comércio e Salgueiros

Deixe o seu comentário
SUBSCREVA A NEWSLETTER RECORD GERAL
e receba as notícias em primeira mão

Ultimas de Histórias de superação

Notícias

Copyright © 2019. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.