Semana #5: O puzzle vai ficando completo...

Jornalista Record cumpriu mais uma semana rumo à Maratona de Nova Iorque

E voltámos às semanas nos três dígitos... Não vou negar: mesmo sendo uma pessoa de letras (sempre fui péssimo a matemática!), tenho uma pequena pancada por números e nisto da corrida gosto de ter em atenção todos os registos. Guardo os parciais de todos os meus treinos religiosamente num ficheiro Excel, onde aponto os registos até de cada série que faço nesse tipo de treinos. Chamem-me maluco (não levo a mal...), mas acaba por ser uma forma bem interessante de manter debaixo de olho a nossa evolução. Por isso, é com orgulho que vou guardando os dados e vendo a forma como tenho evoluído de há uns tempos para cá.

Uma evolução que me sai do corpo, mas que não seria possível sem a orientação correta. E nisso tenho de dar muito mérito a quem me segue há cerca de nove meses, o grande Ricardo Ribas. Começámos a trabalhar pouco depois da Maratona de Valência por um enorme acaso, mas de lá para cá cada vez mais sinto que tomei a decisão certa neste passo.

Bati todos os meus recordes (dos 10 à maratona), nesta preparação sinto-me a evoluir de uma forma muito boa e, melhor de tudo, integrei um grupo de treino onde todos trabalham para o mesmo, onde ninguém se atrapalha, onde todos estão dispostos a ajudar. Podemos ter ritmos e objetivos diferentes, mas no final de contas sabemos que podemos contar todos uns com os outros.

Este domingo, por exemplo, realizámos o primeiro treino de equipa em Lisboa, com mais de quinze corredores juntos. O plano era simples: 20k todos em grupo e os últimos 15k cada um ao seu ritmo, rumo ao seu objetivo. Custou a todos, mas neste clima, neste ambiente de equipa, terá certamente sido muito melhor.

Da minha parte voltou a ser um grande treino, a colocar a cereja no topo do bolo de mais uma semana extremamente positiva. Séries cada vez mais confortáveis, progressivos cada vez mais fáceis (até exagerei...) e um longo de 35k com o último quilómetro feito ao ritmo do meu recorde de meia maratona (4'14).

Sabem quando juntam as peças do puzzle e tudo encaixa na perfeição? Tem sido assim a minha preparação. Sei que até Nova Iorque vou ter treinos maus, porque é praticamente impossível conseguir estar sempre a 100%, sempre com o chip ligado para sofrer (porque sim, na preparação de uma maratona vamos sempre sofrer), mas sinto verdadeiramente que está a ser uma jornada bastante positiva.

Ainda faltam onze semanas, pelo menos 60 treinos, várias centenas de quilómetros, algumas provas, mas a cada semana que passa sinto que isto só pode acabar com sucesso na Quinta Avenida, de bandeira portuguesa às costas, de punho cerrado e sorriso no rosto.

3 de Novembro, falta muito para chegares?

A quinta semana em números

» 102,7 km
» 8:41 horas
» 5'04 de ritmo médio
» 6 treinos de corrida
» 1 treino de ginásio

Os meus treinos no Strava

12/08: Calmo
13/08: Séries curtas
14/08: Progressivo
16/08: Séries longas
17/08: Calmo
18/08: Longo progressivo (20+15)

Dica #6: alimentação e suplementos
(Recorde a dica #1, #2, #3, #4 e #5)

Não, não vos vou indicar aquele suplemento milagroso que vos vai fazer correr mais ou aquele alimento que vos vai fazer devorar quilómetros como um queniano. Vou sim falar em algo que, no meu entender, faz toda a diferença nisto da corrida. A fórmula é simples: comer bem... e bem. Parece uma verdade de La Palice, mas na prática há muita gente que acaba por falhar neste ponto e comprometer bastante a eficiência e resultado dos seus treinos e da sua evolução.

Numa altura em que já superámos a febre da crise energética, pensem nos vossos corpos como um carro. O que precisa um carro para andar? Energia (gasolina, gasóleo elétrica, o que seja...), certo. O que acontece quando lhe falta a energia? Deixa de andar. Voltam a abastecê-lo e ele lá volta a andar. Mas se persistem no mesmo erro e o deixam ficar constantemente sem energia o mais certo é provocarem nele problemas pelos quais vão ter de pagar no futuro.

Estão a ver onde quero chegar? Se não se alimentarem corretamente, se não derem ao vosso corpo a energia necessária (especialmente quando se trata de preparar uma maratona!) o mais certo é ficarem a meio caminho. Se repetirem muitas vezes o erro... pior será! É óbvio que temos de saber criar um equilíbrio, porque muitas vezes exageramos naquilo que comemos, especialmente nos dias dos longos (bem sei do que falo...), mas o fundamental é NUNCA provocarmos um défice calórico extremo que nos cause problemas futuros.

E quanto aos suplementos, não se guiem por aquilo que os vossos amigos tomam. Se estão em dúvida quanto a isto, o indicado é procurar um nutricionista que vos possa indicar a melhor solução. Por vezes até nem precisam de nada, mas não custa nada perceber, com ajuda de quem verdadeiramente percebe da situação, aquilo que vos pode ou não ajudar.

Segue a minha aventura em:

Instagram
Facebook
Wordpress

Por Fábio Lima
Deixe o seu comentário
SUBSCREVA A NEWSLETTER RECORD GERAL
e receba as notícias em primeira mão

Ultimas de Rumo à Maratona de Nova Iorque

Notícias

Copyright © 2019. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.