Suzuki Ignis: o pequeno herdeiro

O novo 'crossover' compacto da marca japonesa procura afirmar-se por linhas algo irreverentes

A Suzuki avançou para a renovação do pequeno Ignis e deu-lhe outra identidade, própria dos tempos modernos que sublinham a preferência dos consumidores pela configuração ‘crossover’. O novo modelo, já disponível em Portugal, tem elementos inspirados no Vitara e no Swift, mas procura afirmar-se pela irreverência e por valores que estão no ADN da marca japonesa.

Um desses valores é a herança mini-SUV representada pelo já citado Vitara e pelo Jimny, pelo que o novo Ignis não podia deixar de afirmar-se no capítulo da tração 4x4. É verdade que essa afirmação advém da utilização do sistema ‘AllGrip Auto" – distribui o binário de forma automática pelos dois eixos sempre que as rodas dianteiras perdem tração -, mas éo espírito aventureiro que verdadeiramente interessa.

Técnica
Os responsáveis pelo ‘design’ da Suzuki foram felizes na definição dos traços do novo Ignis. Há elementos de outros modelos, como já escrevemos, mas o conjunto, de linhas simples, consegue sugerir pujança e dinamismo. Mais ainda se dissermos que o pequeno ‘crossover’ tem apenas 3,7 metros de comprimento e é, também por isso, particularmente ágil.

Os interiores também seguem a simplicidade, mas não deixam para trás a imprescindível modernidade de equipamentos como o ecrã tátil, o sistema de navegação ou a câmara de visão traseira. O espaço nos lugares traseiros (dois) e a bagageira (260 litros de capacidade) indicam que estamos em presença de automóvel pensado para utilização urbana, que não descura a tal capacidade para pisar um ou outro estradão de terra.
Com preços a começar nos 13.500 euros e proposto em dois níveis de equipamento (ver outra peça), o Ignis entra num campeonato onde estão adversários como o Panda Cross, o Adam Rocks ou o Twingo e pode marcar a diferença pela tradição SUV que a Suzuki orgulhosamente ostenta.

Motor gasolina e opção híbrida
A escolha da Suzuki para o coração do Ignis recaiu no bloco gasolina 1.2 Dualjet com 90 cv de potência. Servido por caixa manual de 5 velocidades, o pequeno ‘crossover’ também pode ser equipado com caixa automática. Há ainda uma versão com sistema híbrido (SHVS), que dá mais 4 cv de potência e serve essencialmente para apoiar o motor a gasolina – através de bateria extra de 3kWh e de dispositivo elétrico que age em função das necessidades de aceleração.

Equipamento
A gama Ignis é simples e foi estruturada em dois níveis de equipamento. O acesso (GLE) conta com bancos dianteiros aquecidos, ecrã tátil e computador de bordo. A versão GLX já inclui faróis LED, sistema de navegação, ‘cruise control’, ar condicionado e arranque sem chave. As cores da carroçaria sublinham a irreverência e o mesmo pode dizer-se dos elementos decorativos que permitem a imprescindível personalização.

Por Paulo Renato Soares
Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
Subscreva a newsletter

e receba as noticias em primeira mão

ver exemplo

Ultimas de Motores

Notícias

Copyright © 2019. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.

0