Rui Duarte quer entrar a ganhar frente ao Famalicão

Regresso à 2.ª Liga com a promessa de muito trabalho

• Foto: Filipe Farinha
PUB

O Farense volta a competir este sábado na 2.ª Liga, depois de duas épocas de ausência, e o treinador Rui Duarte, profundo conhecedor deste patamar enquanto jogador, espera "começar bem", na receção ao Famalicão.

"Nenhuma equipa estará no máximo das suas capacidades nesta altura da época mas sentimos uma energia muito positiva em toda a estrutura e temos trabalhado arduamente, procurando corrigir alguns erros e potenciar o que fizemos bem até aqui", assinala Rui Duarte.

Para o responsável da formação de Faro, "nada se consegue sem trabalho e as expetativas são boas, pois acredito que com rigor, concentração e compromisso iremos, passo a passo, fazer o nosso campeonato".

Rui Duarte aponta como único objetivo "lutar sempre pelos três pontos em disputa e dar o melhor em cada jogo, de forma a que os adeptos sintam orgulho nesta equipa. Não vamos traçar grandes planos, pois o foco será sempre a partida seguinte, numa caminhada passo a passo, de forma sólida e tranquila".

O treinador do Farense reconhece que "será importante começar com uma vitória em casa, pois queremos fazer do São Luís uma fortaleça capaz de nos render muitos pontos" mas, admite, "do outro lado estará um adversário de valor, com bons argumentos, também seguramente interessado em estrear-se com um triunfo".

O Famalicão "tem vindo a solidificar-se nesta liga, que é extremamente competitiva, e todos sabemos o grau de exigência e as dificuldades esperadas, comuns seguramente a todas as outras partidas, num campeonato duro e que pedirá um total comprometimento, abnegação e realismo".

No seio do grupo "há uma ansiedade positiva, pois queremos jogar e mostrar aquilo de que somos capazes, o nosso valor coletivo", assinala Rui Duarte, feliz "por trabalhar num clube apaixonante, com uma massa associativa muito dedicada e próxima. Eu também sou um apaixonado pelo que faço e essas sinergias acabam por conjugar-se".

O Farense já viveu tempos de glória e Rui Duarte diz que a exigência dos adeptos, desejosos de voltarem ao patamar mais alto do futebol português, "dá motivação mas não basta dizer e sonhar, há que fazer, e o que pretendemos é mostrar uma equipa competitiva e forte, na qual todos se revejam".

Nos dois jogos oficiais já disputados, para a Taça da Liga Allianz, frente a Penafiel e Estoril, o Farense não marcou golos, algo que parece, pelo menos por enquanto, não incomodar o treinador: "Por vezes ataca-se muito e a bola não entra... Foi o que sucedeu frente ao Estoril. A preocupação seria grande se não conseguíssemos criar oportunidades", diz Rui Duarte, que pede "uma mentalidade mais agressiva e maior eficácia", acreditando que os golos "irão surgir com tranquilidade, confiança e persistência".

O mercado ainda está aberto (o Farense deverá receber pelo menos mais um avançado até ao fecho do mesmo) e Rui Duarte mostra-se "satisfeito com os jogadores que tenho à disposição, estando em construção uma família unida tanto nas dificuldades como nos sucessos, pois essa foi a base das conquistas registadas na época passada. Transitou um bom número de jogadores e chegaram outros que vieram para ajudar e estão a identificar-se rapidamente com a nossa forma de ser, estar e trabalhar".

Por Armando Alves
Deixe o seu comentário
PUB