Presidente da SAD do Vizela "aguarda serenamente" desfecho judicial da subida à 2.ª Liga

Diogo Godinho diz que ainda não recebeu qualquer notificação

• Foto: Record

O presidente da SAD do Vizela garantiu esta terça-feira que o clube vai "aguardar serenamente" o desfecho de uma providência cautelar que põe em causa a subida da equipa à 2.ª Liga.

"Ainda não fomos notificados de qualquer processo e, por isso, não há grandes esclarecimentos a serem feitos. Mas estamos tranquilos e vamos aguardar serenamente pelas decisões", disse à agência Lusa Diogo Godinho.

O dirigente lembrou que o clube "foi convidado para participar já hoje numa assembleia geral da Liga de Clubes", e considerou que o organismo que tutela o futebol profissional em Portugal e a FPF "agiram em conformidade com a lei", quando decidiram promover os dois clubes.

O que está agora em causa é uma providência cautelar, interposta no Tribunal Arbitral do Desporto pelo Olhanense, liderava a Série D do Campeonato de Portugal, à data da suspensão prova, onde é pedida a suspensão da eficácia da decisão de indicar para ascender à 2.ª Liga de Vizela e Arouca.

Num comunicado emitido esta terça-feira, a FPF revela a existência da providência cautelar, mas continua a defender o modelo que levou a subida de divisão de Arouca e Vizela, admitindo, inclusive, interpor um recurso.

"A Federação Portuguesa de Futebol continua a defender o critério objetivo do mérito desportivo e as soluções que mais garantem a estabilidade e previsibilidade na organização das competições. A FPF irá analisar esta decisão e ponderar sobre soluções a adotar, incluindo a de interpor recurso desta decisão para o tribunal administrativo competente", esclareceu.

Por Lusa

Últimas Notícias

Notícias
Subscreva a newsletter

e receba as noticias em primeira mão

ver exemplo

Ultimas de Campeonato de Portugal

Notícias

Notícias Mais Vistas

Copyright © 2019. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.

0