Outra vez segunda-feira

Alexandre Pais
Alexandre Pais Ex-Diretor Record

Mais três temas que são sempre quatro

Apenas a três pontos da temida 'linha de água', ou mesmo a dois, caso o Estoril não perca hoje, o Belenenses é um dos sete clubes em luta pela permanência na liga principal. Chegou a andar pela primeira metade da tabela no melhor período de Domingos Paciência, mas paga a fatura da incompetência da SAD na gestão do plantel e na escolha de treinadores. Depois do excelente jogo contra o Benfica, no Restelo, os jogadores, envolvidos por um ambiente de 'guerra civil', parecem sentir ainda o golpe do golo do empate, no último minuto, e são agora uma sombra – mais uma das nuvens que escurecem o Restelo por motivos que os ultrapassam e que nos angustiam a nós, adeptos azuis. Estamos a pagar o erro de eleger direções ruinosas, como a que contratou quase 20 brasileiros de uma assentada, muitos deles autênticas anedotas.

Alguma instabilidade devem igualmente causar aos jogadores do Sporting as polémicas em que veem envolvido o clube, tão pouco estimulantes têm sido as derradeiras exibições. Ontem, enfim, dois golos – depois de zero ao FC Porto, em duas partidas, zero ao Estoril, um mais um ao V. Setúbal, igualmente em dois desafios, e um ao V. Guimarães – para uma vitória sofrida a que só a saída em falso do guarda-redes do Feirense, aos 78 minutos, abriu caminho. Com toda esta agitação, Bruno de Carvalho põe em risco a estabilidade da equipa, embora se deva acrescentar que tem agora razão nos protestos pelo golo invalidado ao Sporting. Então Bruno Fernandes faz falta, o Feirense recupera a bola e quando se analisa a validade da jogada, ela 'regressa' ao lance do médio leonino? O VAR é um passo em frente no combate pela verdade desportiva, mas com a atual regulamentação, ou com a interpretação que dela se faz, não iremos longe.

Tive pena da saída de Miguel Layún do FC Porto. Pela qualidade do mexicano e por ser a exceção à regra de sucesso na recuperação de jogadores levada a cabo por Sérgio Conceição e que o credencia como líder. Vou-me repetir: Aboubakar, Brahimi, Marega, Corona, Herrera e Diego Reyes foram apenas alguns dos craques 'queimados' por Nuno Espírito Santo e mandados para a prateleira ou para o exílio – uma desvalorização de ativos que o seu êxito no Wolves não fará esquecer. Espero que Layún se reabilite em Sevilha!

O parágrafo final vai para os Jogos Olímpicos de Inverno e para o drama norueguês. Após o falhanço na qualificação de três das suas lendas, o biatleta Ole-Einar Bjørndalen e os esquiadores Petter Northug e Therese Johaug (esta afastada por doping), a Noruega deposita agora muitas das suas esperanças noutra estrela do cross-country na neve, Marit Bjørgen, 10 medalhas até Pyongyang. Aos 37 anos, ela conquistou já mais uma de prata, podendo ainda ganhar mais três ou quatro e tornar-se no atleta mais laureado em Jogos de inverno, batendo as 13 medalhas de... Bjørndalen. Até dia 25, estou de novo refém da TV. Sorte minha.


No Restelo, os
jogadores pagam
pelo clima de "guerra
civil" que os envolve

Deixe o seu comentário

Assinatura Digital Record Premium

Para si, toda a
informação exclusiva
sempre acessível

A primeira página do Record e o acesso ao ePaper do jornal.

Aceder

Pub

Publicidade
apenas 1€ por mês
experimente sem compromisso e garanta o seu lugar na bancada da melhor informação desportiva.
  • conteúdo record em qualquer sítio e a toda a hora
  • acesso no pc, tablet e smartphone
  • versão epaper do jornal no dia anterior
  • conteúdos exclusivos para assinantes
  • suplementos especiais

Copyright © 2019. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.

0