Dirigentes da USA Gymnastics demitem-se após escândalo de abusos sexuais

Antigo médico da seleção de ginástica, Larry Nassar, foi condenado a 60 anos de prisão

• Foto: Reuters
PUB

A Federação Norte-americana de Ginástica anunciou esta segunda-feira a demissão de três dirigentes da organização, na sequência do escândalo de abusos sexuais cometidos pelo antigo médico da seleção de ginástica dos Estados Unidos Larry Nassar.

O presidente do Conselho de administração do USA Gymnastics, Paul Parilla, o seu adjunto, Jay Binder, bem como a tesoureira da organização, Bitsy Kelley, estão entre os responsáveis que apresentaram a sua demissão.

A presidente da USA Gymnastics, Kerry Perry, afirmou que estas demissões "permitirão avançar de forma mais efetiva" relativamente à "adoção de mudanças".

Várias atletas de topo dos Estados Unidos, entre as quais a quádrupla campeã olímpica de ginástica Simone Biles, vieram a público denunciar terem sido vítimas de abusos sexuais por parte de Larry Nassar.

Nassar, de 54 anos, que, em dezembro de 2017, foi condenado a 60 anos de prisão por posse de pornografia infantil, declarou-se já culpado das agressões sexuais de que é acusado por Jordyn Wieber, medalha de ouro olímpica em Londres'2012, e as colegas na equipa Aly Raisman, Gabby Douglas e McKayla Maroney.

Por Lusa
Deixe o seu comentário
PUB