Selecionador Nacional de boccia aponta a Tóquio

Luís Ferreira mostra ambição e alguma cautela na hora de estabelecer metas

Portugal qualificou dez atletas para Tóquio’2020 no mês passado, no Open Mundial da Póvoa de Varzim. Um objetivo cumprido, segundo o selecionador nacional Luís Ferreira. "Portugal conseguiu apurar o número máximo de atletas nos Jogos. Desde que assumi o cargo após os Jogos no Rio de Janeiro, em 2016, que o grande objetivo era estar na máxima força em Tóquio. Com os atletas que trabalhamos atualmente podemos almejar bons resultados", garante o selecionador, que mostra ambição e alguma cautela na hora de estabelecer metas. "O grande objetivo é chegar ao pódio em qualquer uma das classes, mas sempre com um ponto de interrogação neste processo", sublinha.

‘Hat trick’ nos Jogos é mais difícil

"Já estive em duas edições de Jogos Paralímpicos", conta Domingos Vieira. "Fui a Londres, em 2012, e ao Rio de Janeiro, em 2016. É uma sensação única com que qualquer atleta sonha. Depois é desfrutar do momento e da aprendizagem de estar presente nessas competições". Já a presença em Tóquio’2020 está mais difícil. "Acho que desta fez vai ser mais complicado. Vamos ver. Não depende só de mim, depende do selecionador."

Por Rafael Godinho
Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
SUBSCREVA A NEWSLETTER RECORD GERAL
e receba as notícias em primeira mão

Ultimas de Fazemos campeões

Teodoro Cândido: «Na cadeira esqueço tudo»

Aos 66 anos, Teodoro não se cansa. Descobriu o desporto adaptado no sofá durante “a vida de reformado”. Depois disso nunca mais parou: andebol, basquetebol, ténis de mesa, vela... e não quer ficar por aqui

Notícias

Copyright © 2019. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.