DGS diz que "podemos fazer jantares de família"

Diogo Cruz sublinhou que durante algum tempo vai continuar a ser impossível realizar estes convívios "nos moldes que fazíamos antigamente"

O subdiretor geral da Saúde, Diogo Cruz, informou esta terça-feira que nesta nova fase do combate ao vírus podem acontecer jantares de família e amigos, desde que sejam tidos vários cuidados. "Podemos fazer um jantar de família com as devidas precauções, cautelas, distanciamento social", disse Diogo Cruz, acrescentando ainda que, durante algum tempo vai continuar a ser impossível realizar estes convívios "nos moldes que fazíamos antigamente".

O subdiretor da Direção-Geral de Saúde pediu ainda que apesar de uma menor rigidez no confinamento os protugueses devem continuar a respeitar as medidas de higiene, distanciamento sanitário e etiqueta respiratória. "Devemos todos fazer o nosso papel de agentes de saúde pública e manter as recomendações", explicou Diogo Cruz.

Durante a conferência diária sobre o boletim da DGS, Diogo Cruz lembrou que "houve uma queda da taxa de vacinação no período de confinamento". "Estaríamos naturalmente à espera que houvesse uma quebra neste período, mas esperemos que seja recuperada nos próximos tempos com reabertura. Reitero a necessidade de se cumprir o programa nacional de vacinação de forma criteriosa", referiu ainda.

Já o secretário de Estado da Saúde, António Lacerda Sales, justificou a notícia desta manhã do Correio da Manhã de que foram adquiridos quase 80 milhões de euros em contratos por ajuste direto com o decreto-lei criado a 23 de abril que prevê ajustes diretos por "motivos de urgência fundamentados". Disse ainda que o caderno de encargos e a proposta do ajucatário referentes aos contratos irão ser disponbiilizados no portal Base o mais rapidamente possível. Marta Temido, ao mesmo tempo, dizia aos jornalistas que os documentos estarão disponíveis até ao fim da semana.
"Tem-se verificado durante os fins de semana alguma diminuição de testes, não por falta de oferta, porque a oferta mantém-se a mesma, mas porque muito provavelmente haverá uma diminuição da procura", admitiu António Lacerda Sales, depois de confirmar os dados do boletim desta terça.

O secretário de Estado disse ainda que as provas avaliação final da 1.ª época de internato médico que ficou suspenso a 18 de março será realizada a partir de 8 de junho. "São boas notícias para os jovens médicos, mas excelentes notícias para o SNS que não pára."

Portugal regista hoje 1.074 mortos relacionadas com a covid-19, mais 11 do que na segunda-feira, e 25.702 infetados (mais 178), segundo o boletim epidemiológico divulgado hoje pela Direção Geral da Saúde.

Em comparação com os dados de segunda-feira, em que se registavam 1.063 mortos, hoje constatou-se um aumento de óbitos de 1%.

Relativamente ao número de casos confirmados de infeção pelo novo coronavírus (25.702), os dados da Direção Geral da Saúde (DGS) revelam que há mais 178 casos do que na segunda-feira (25.524), representando uma subida de 0,7%.

A região Norte é a que regista o maior número de mortos (613), seguida da região de Lisboa e Vale do Tejo (223), do Centro (211) Algarve (13), dos Açores (13) e do Alentejo que regista um caso, adianta o relatório da situação epidemiológica, com dados atualizados até às 24:00 de segunda-feira, mantendo-se a Região Autónoma da Madeira sem registo de óbitos.

Por Sábado
1
Deixe o seu comentário
Subscreva a newsletter

e receba as noticias em primeira mão

ver exemplo

Ultimas de Coronavírus

Notícias

Copyright © 2020. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.