País em alerta total

Governo determina período até 9 de abril. Marcelo pode reforçar medidas se necessário

• Foto: Mário Cruz / LUSA

Está oficialmente decretado o estado de alerta pelo Governo como resposta urgente para a situação epidémica que se vive com o novo coronavírus em Portugal. O anúncio saiu como resultado do Conselho de Ministros, que elaborou a lista de 30 medidas de combate ao surto, comunicadas por Eduardo Cabrita, ministro da Administração Interna, estipulando o período de alerta até 9 de abril: data pode ser prolongada, "em função da evolução da situação epidemiológica" registada no solo luso.
Cabrita ativou a Proteção Civil, que passará a ter uma subcomissão destinada a enviar informação à população por SMS, e interditou a realização de eventos de qualquer natureza em que estejam presentes mais de mil pessoas em recintos cobertos, e cinco mil em eventos ao ar livre. Ainda reforçou a mensagem deixada pelo primeiro-ministro no limite de contacto social em locais de convívio. Mas no entanto Cabrita não considera que se justifique o fecho das fronteiras.
E para quem não cumprir estas regras de alerta, estão previstas sanções, podendo constituir penas de prisão, dado que a desobediência às indicações do Governo constitui crime.

Presidente admite reforços

Em comunicado no site da Presidência da República, Marcelo Rebelo de Sousa avisou que o surto pode durar mais do que o esperado. Como tal, apoia as medidas do Governo e admite que estas possam vir a ser reforçadas se as entender "imprescindíveis perante a gravidade da situação". Numa palavra de solidariedade para o futuro, o Presidente da República, que cumpre período de quarentena, pediu cuidados "perante o duplo desafio" que se impõe a nível de saúde pública, económico e social.

Linha Saúde 24 passa a ser gratuita

As chamadas para a linha Saúde 24 vão passar a ser gratuitas. No dia em que foram confirmados 112 casos (110 ativos) de Covid-19 em Portugal, Jamila Moreira, secretária de Estado Adjunta e da Saúde, anunciou no boletim diário da Direção-Geral da Saúde um reforço da linha com 112 enfermeiros como resultado dos maiores constrangimentos aquando do "acréscimo anormal" de chamadas registadas. A par com esta medida, vai ser ainda criado um call center com mais de 100 profissionais. Neste momento, a secretária de Estado garantiu ser possível realizar 1.500 chamadas ao mesmo tempo. "Foi possível passar de 200 chamadas em simultâneo para 500 e destas para 1.200. Estamos a trabalhar para chegar às 2.000", afirmou, antes de confirmar a aquisição de novas máscaras e material desinfetante.

Na conferência de imprensa, Graça Freitas, diretora-geral da Saúde, sublinhou a necessidade de isolamento social. "Pede-se aos portugueses que façam durante um período limitado uma alteração da sua rotina, do seu dia a dia no sentido de minimizarem o contacto com outras pessoas". Perante a pandemia, vincou que os cuidados têm de estar garantidos para qualquer necessidade: "Pode haver mudanças de um dia para o outro, é preciso haver essa capacidade", acrescentou.

Por Miguel Catarino
Deixe o seu comentário
Subscreva a newsletter

e receba as noticias em primeira mão

ver exemplo

Ultimas de Coronavírus

Notícias

Copyright © 2019. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.