Coronavírus: Ibersol recusa fechar restaurantes KFC, Pizza Hut e Burger King

Gigante da restauração mantém, para já, as portas abertas em centenas de lojas espalhadas pelo país

A Ibersol assegura ao Negócios que vai manter todas as cadeias de restaurantes que explora em Portugal em funcionamento, embora sublinhe que "adequará as suas operações às contingências decorrentes das recomendações oficiais determinadas e a determinar".

Cotado em bolsa desde 1997, o grupo nortenho é um dos maiores do setor da restauração a nível ibérico – além de ter concessões também em Itália, Marrocos e Angola –, explorando em Portugal centenas de lojas da KFC, Pizza Hut e Burger King, entre outras marcas próprias e franquiadas.

Questionada pelo Negócios, fonte oficial indicou que "é expectável, num cenário de pandemia, que os serviços de ‘take away’ e de ‘delivery’ sejam mais procurados em detrimento dos restaurantes em centros comerciais e restaurantes de rua", onde o Governo já decretou restrições ao nível do acesso.

O grupo liderado por Alberto Teixeira e António Pinto de Sousa, comprado à Sonae há mais de duas décadas, explicou ainda que "todas as unidades nos diferentes segmentos reforçaram a frequência dos protocolos de higienização e limpeza em todas as suas componentes, bem como reforçaram as medidas de higienização, etiqueta respiratória e conduta social".

Visando a proteção adicional dos colaboradores e dos clientes, nas transações feitas com entregas ao domicílio implementou vários procedimentos para reduzir ou eliminar os contactos, incluindo um "protocolo especial de segurança que permite a entrega com contacto mínimo".

Masterfranchise da KFC apelou ao fecho

A Restaurant Brands Ibéria (RB Iberia), detentora dos direitos de exploração como masterfranchise para Portugal da marca Burger King, optou por encerrar os seus restaurantes próprios em Matosinhos, Verdemilho (Aveiro) e Fátima, recomendando "a aplicação das mesmas medidas a todos os restaurantes franchisados" no país".

No que toca ao caso específico desta marca de hambúrgueres, a mesma fonte respondeu apenas que "o Grupo Ibersol está a avaliar, a todo o momento, a situação em Portugal e as medidas a tomar serão sempre articuladas com o masterfranchise e seguindo o rigoroso cumprimento das recomendações e determinações da Direção Geral de Saúde ou do Governo".

Na sessão desta terça-feira, 17 de março, em que várias cotadas marcaram ou renovaram mínimos de vários anos, também a Ibersol (-2,71% para 4,66 euros) continuou o ritmo de queda acentuada evidenciado nos últimos dias, transacionando em mínimos de 2016.

Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
Subscreva a newsletter

e receba as noticias em primeira mão

ver exemplo

Ultimas de Fora de Campo

Notícias

Copyright © 2020. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.