Diretor da RTP justifica-se após polémica: «Nunca pensei no Cristiano e decidi apagar o post»

Paulo Dentinho diz que nunca pensou que publicação atingisse tamanhas proporções

O diretor de informação da RTP, Paulo Dentinho, mostrou-se esta sexta-feira "perplexo pelas proporções" que um post em que falava de "violadas de primeira, violadas de segunda e violadas de terceira" ganhou.

O post causou de imediato polémica e acabou mesmo por ser apagado por Paulo Dentinho, que esta sexta-feira se justificou em declarações.

"Pouco depois, voltei a lê-lo e percebi que tinha escrito com uma linguagem muito forte. Lembrei-me das minhas filhas. Nunca pensei no Cristiano e decidi apagar o post", refere o diretor de informação da RTP ao Jornal de Notícias.

A mesma justificação deu ao 'Correio da Manhã'. "Estava a preparar um programa sobre o aniversário do movimento 'Me Too' e isso, aliado ao facto de ter três filhas, fez-me ter um momento emocional. Não me estava a referir ao caso concreto de Cristiano Ronaldo".


O post polémico

"Há violadas de primeira, violadas de segunda categoria, violadas de terceira categoria, etc. Depende do estatuto delas mas, sobretudo, do estatuto deles. Questão de perspectiva... Um "não" de uma puta - e tem também ela direito a dizer não - vale nada. É mercadoria. E se o violador tiver a auréola de herói nacional, é puta de certeza, no mínimo dos mínimos uma aproveitora sem escrúpulo algum. Logo, puta! Os factos, que se fodam os factos. Estava a pedi-las, foi o que foi. Felizmente não é a mamã, a filhota ou o filhote de ninguém. Porque nesta justiça será sempre uma filha ou um filho da puta"

Este post levou a que Manuela Brandão, assessora de imprensa da Gestifute - empresa que representa Cristiano Ronaldo - tomasse uma posição publicamente.

"Há directores de primeira, directores de segunda e aqueles que nunca na p. da vida deviam ocupar um lugar de tamanha responsabilidade por não terem o mínimo exigível de qualidade, profissionalismo, isenção, carácter, credibilidade e bom senso. Porque ser director de informação da RTP não é o mesmo que ser director do jornal da paróquia. Porque ser jornalista da RTP exige responsabilidade, ética, seriedade, isenção. Shame on you!! Director de informação??? Pobre RTP, que sempre nos habituara a outra qualidade, elevação, responsabilidade e, sim, isenção, insisto. E agora RTP? Em que pé fica a credibilidade da vossa Informação?

Mais tarde, Manuel Brandão voltou ao assunto comentando notícias que davam conta de um processo disciplinar a Paulo Dentinho.

"Desconheço se é, ou não, verdade. O que sei é que algo tem de ser feito a bem da credibilidade da RTP. P.S. O post foi apagado. Porque será?"





86
Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
Subscreva a newsletter

e receba as noticias em primeira mão

ver exemplo

Ultimas de Fora de Campo

Notícias

Copyright © 2020. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.