Jaime: «Cheguei a pensar que estava acabado para o futebol»

JOGADOR REGRESSA AO FUTEBOL, AOS 36 ANOS, PARA ENVERGAR A CAMISOLA DO AMORA

JAIME está de regresso ao futebol. E ao Amora, que chegou a representar na I Divisão, em 1983/84. Aos 36 anos, e depois de duas épocas de inactividade, o antigo internacional A já não contava voltar à competição.

Confessa, inclusive, ter chegado a pensar que estava acabado para o futebol. Mas o apelo de José Mendes, presidente do clube da Medideira e antigo companheiro de equipa, foi mais forte. E o atleta aceitou voltar a calçar as chuteiras.

"O segredo da longevidade? É o meu coração: sou feliz, adoro praticar desporto e consigo arranjar forças para tudo." E este "tudo" é jogar no Amora, nos veteranos da mesma equipa, futebol de praia e ser treinador da equipa feminina de futebol de salão do Pinhal de Frades. Jaime está, no entanto, consciente de que já não tem a pujança de outros tempos. "É preciso trabalhar muito e levar a sério todas as actividades em que estou empenhado."

O convite de José Mendes para integrar o plantel do Amora foi recebido com surpresa por Jaime. "Cheguei a pensar que já estava acabado para o futebol de onze e não pensava voltar a jogar a este nível. Mas como me sinto em perfeitas condições físicas e acredito que posso fazer mais uma ou duas épocas, resolvi aceitar a proposta do presidente. Aliás, o ingresso no Amora deve-se à amizade com José Mendes, que me pediu para ajudar a equipa.

E é isso que tenciono fazer, não só como jogador mas também pela experiência acumulada ao longo dos anos."

O traquejo de Jaime constitui, aliás, uma das esperanças dos responsáveis do Amora para ajudar a equipa a sair da difícil situação em que se encontra na II Divisão B, Zona Sul - décima sétima classificada, a nove pontos da primeira equipa (Lusitânia) acima da zona de despromoção. O antigo jogador do Belenenses e V. Setúbal acredita, porém, que a permanência ainda é possível. "O plantel é constituído por muitos jovens de valor, mas que precisam de apoio. O clube está a atravessar um momento complicado e tentarei dar o máximo para o ajudar a alcançar os objectivos", salienta.

TREINADOR NA CALHA

O ingresso no Amora significa, também, o primeiro passo em direcção a uma futura carreira de treinador, como o próprio jogador admite. E esta época começará já a colaborar com a equipa técnica do clube da Medideira, chefiada por Manuel Bento.

Para trás fica um percurso como jogador que o atleta apelida de "positivo". "Fui feliz ao longo da carreira; bem tratado em todos os clubes por onde passei. Dei sempre o melhor e consegui chegar onde queria, que era representar a selecção nacional". Jaime recorda, a propósito, que esteve, por duas vezes, prestes a envergar a camisola do Benfica: “Quando estava no Belenenses cheguei a assinar um contrato por três épocas com o Benfica, mas depois não me deixaram sair. Antes, no Amora, aconteceu uma situação idêntica. Mas não me queixo. Também representei um clube 'grande', que é o Belenenses."

Jaime, do "alto" da sua experiência, aproveita para deixar um conselho aos atletas que estão agora a iniciar a carreira, principalmente àqueles que actuam em equipas de menor dimensão, como o Amora. "Que pensem como eu quando tinha 17 anos e que três ou quatro anos depois consegui chegar à selecção. Desde que os jogadores queiram, é sempre possível alcançar os objectivos."

ANTIGOS COMPANHEIROS DE EQUIPA

Jaime e José Mendes reencontram-se na Medideira. Há 18 anos, actuaram juntos na equipa do Amora; agora voltam a representar o mesmo emblema, mas em condições diferentes: o primeiro como jogador; o segundo como presidente da Direcção. Percursos diferentes durante quase duas décadas, mas que não apagou uma grande amizade.

"É um orgulho jogar no clube presidido por José Mendes", confidencia Jaime, que recorda os tempos em que alinhavam na mesma equipa: "Foi uma altura muito boa, em que o Amora tinha um departamento juvenil com pessoas espectaculares. Jogámos juntos nos juvenis e nos juniores e, curiosamente, actuávamos ambos no meio-campo."

FUTEBOL DE ONZE, FUTEBOL DE PRAIA, VETERANOS E TREINADOR

Apesar dos 36 anos, Jaime revela ter energia para "dar e vender". Futebol de onze, veteranos (ambos no Amora, embora o último mais como "brincadeira", como esclarece), futebol de praia e treinador da equipa feminina do Pinhal de Frades, em futebol de salão, são actividades que preenchem, por completo, o dia-a-dia, do antigo internacional.

"São modalidades que consigo conciliar, pois os treinos do Amora e do Pinhal de Frades são à noite", afirma, acrescentando: "Além disso, ainda jogo nos veteranos do Amora, embora seja mais como brincadeira, com pessoas amigas."

Jaime não esconde que a grande paixão é o futebol de praia. Situação à qual não é alheia a possibilidade de representar Portugal ao mais alto nível desta variante. Do que nem quer ouvir falar é dos recentes problemas levantados em relação à legitimidade da actual selecção nacional. "Somos convocados, jogamos e tentamos dar o melhor para dignificar o nome de Portugal. Só isso é que me preocupa."

Orientar a equipa feminina de futebol de salão do Pinhal de Frades é outro dos grandes prazeres de Jaime, como confessa. "São raparigas espectaculares, tanto como jogadoras tanto como pessoas. E dá-me uma enorme alegria ser o seu treinador."

JOSÉ MENDES DESTACA

José Mendes é o principal responsável pela contratação de Jaime. Profundo conhecedor das suas características, tanto como jogador tanto como homem, o presidente do Amora não tem dúvidas de que o antigo internacional "é a pessoa indicada" para ajudar a equipa.

"Contratei o Jaime pelas qualidades técnicas que sempre teve e continua a ter, e pelo bom ambiente que vai gerar no balneário. Além disso, faz parte desta casa e o seu regresso permitirá iniciar uma nova era no Amora", justifica José Mendes.

O líder do clube da Medideira salienta, porém, que "o papel de Jaime não é só jogar". "Já não está no apogeu, mas tem outras qualidades, talvez ainda mais úteis. A sua prestação será como jogador, mas apresenta mais-valias que poderão ser aproveitadas. Terá, por isso uma missão extremamente importante entre a Direcção, treinador e jogadores". E acrescenta: "O Amora vai chamar os seus 'filhos' mais representativos. E neste clube haverá sempre lugar para o Jaime e outros que por aqui passaram."

QUEM É QUEM

Nome: Jaime Jerónimo das Mercês

Idade: 36 anos (27 de Setembro de 1963)

Naturalidade: Cova da Piedade

Clubes: Amora, Belenenses, V. Setúbal, Ovarense, D. Beja, Atlético e Amora

Internacionalizações A: 9

JOSÉ MANUEL PAULINO

Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
Subscreva a newsletter

e receba as noticias em primeira mão

ver exemplo

Ultimas de Campeonato de Portugal

Notícias

Notícias Mais Vistas