Na defesa ou no ataque: flexibilidade supera qualquer sistema

Selecionador garante que não se irá prender ao 3x4x3, já que tudo depende de quem joga

• Foto: Luís Manuel Neves

Roberto Martínez estreou o sistema de três centrais na Seleção Nacional, mas não tem dúvidas de que o mais importante são os conceitos de jogo. O espanhol sublinha o papel fundamental de Danilo no encontro e garante que não se irá prender ao 3x4x3, podendo mudar de acordo com as características dos jogadores. "Jogar com três centrais permite-te defender com menos jogadores. Os centrais hoje jogaram mais como médios do que como centrais, por isso fazia sentido ter Danilo, que identificava quando tinha de estar a médio ou estar a central. Creio que é essa flexibilidade que devemos ter. Fixamo-nos sempre nos sistemas, mas este grupo de jogadores tem que se mover por conceitos", analisou, prosseguindo: "Não sou um treinador que jogue num certo sistema. Olhando para esta geração, podemos ser uma boa equipa com bola, sem bola, muito fortes nas transições… seria estúpido para mim limitar a qualidade da equipa a um só sistema."

Depois, passou para o ataque. Cristiano Ronaldo foi titular, mas Martínez assegura que poderá jogar com dois avançados, ainda que ontem tenha preferido explorar o espaço de outra forma. "Dois pontas de lança cabem em qualquer sistema, mas a ideia era jogar com um. Queria ver as várias possibilidades", vincou.

O selecionador ficou satisfeito com a goleada, mas identificou alguns problemas. "Começámos muito bem, nos primeiros 15 minutos, mas frustrámo-nos. Na segunda parte criámos ocasiões. O mais importante era o que se fazia sem bola. O compromisso, trabalho e obsessão de não deixar que o Liechtenstein pudesse criar problemas em contra-ataque e bolas paradas", concluiu.

Por Francisco Guerra
Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
Subscreva a newsletter

e receba as noticias em primeira mão

ver exemplo

Ultimas de Seleções

Notícias

Notícias Mais Vistas