Record

i
C- Studio é a marca que representa a área de Conteúdos Patrocinados do Universo
É o local onde as marcas podem contar as suas histórias e experiências.

Todos os carros novos vão ficar mais caros em Setembro? Descubra o motivo

Vai comprar um carro novo ainda este ano? Se for o caso, tem até ao final de agosto para poupar cerca de 3.000€ em média pelo mesmo veículo. Explicamos como o pode fazer. A partir do próximo dia 1 de setembro todos os carros novos comercializados em Portugal vão cumprir o novo ciclo normativo de homologação de emissões WLTP – Worldwide Harmonized Light Vehicles Test Procedure – que substitui o atual sistema em vigor, o NEDC – New European Driving Cycle. Trata-se de uma medida aplicada em todos os países da União Europeia, na mesma data.

O conhecido "dieselgate" acelerou a necessidade junto das entidades reguladoras de ter um novo sistema de mediação mais eficaz, rigoroso e menos vulnerável a possíveis alterações de resultados. O objetivo do WLTP é prestar informação mais realista ao mercado e aos clientes, proporcionando dados mais próximos da condução em condições reais. Esta é uma grande mudança, mas não é a única. Há alterações a ter em conta no cálculo das emissões como a capacidade de medir com exatidão as inúmeras alternativas de personalização de equipamento que os fabricantes oferecem em cada modelo. Com o NEDC, existia um valor referência para um modelo standard. O critério seguido pelo WLTP tem como base o carro standard, mas adiciona todas as variáveis de cálculo introduzidas no peso do carro e no seu consumo com o acrescento de equipamento. É isto que o WLTP vem corrigir com a entrada em funcionamento no dia 1 de setembro. Mais rigor nos dados da medição, o que na prática resulta num aumento das emissões emitidas pelos motores dos carros.

Como afeta o WLTP o preço do carro?

A diretiva da União Europeia que estabelece o WLTP tem o foco no consumidor, que vai aceder a informação simplificada e comparável sobre os veículos no mercado. A mudança para o WLTP não deveria, por isso, representar custos acrescidos para o cliente. No entanto, muitos países europeus baseiam os cálculos da fiscalidade automóvel nas emissões registadas. Em Portugal, o ISV – Imposto Sobre Veículos é um exemplo, com incidência nas componentes de cilindrada e emissões de CO2. Com medições mais elevadas de CO2 registadas nos novos ensaios, os impostos serão agravados, resultando num aumento dos preços dos veículos novos.

O valor médio de referência que a indústria automóvel está a divulgar para o aumento médio do preço na compra de um automóvel em Portugal com a entrada do WLTP é de 3.000€ euros, mas esse valor pode chegar aos 8.000€. Esta diretiva comunitária afeta todo o mercado. A FCA Portugal, que representa as marcas Fiat, Alfa Romeo e Jeep, congratula a medida pela maior transparência e acuidade, mas ressalva que "os novos ensaios podem também significar uma maior carga fiscal para os novos veículos".

Apesar de o desempenho dos veículos não sofrer alterações, as emissões de CO2 podem registar aumentos de 20% a 30%, à luz do novo procedimento – dada a maior fiabilidade dos novos testes e maior aproximação à utilização real dos veículos no dia a dia. A FCA Portugal admite a possibilidade de um aumento do valor do PVP, consequência do agravamento do ISV nas viaturas que comercializa.

Para evitar dissabores a quem procure comprar uma viatura Fiat, Alfa Romeo ou Jeep depois de 1 de setembro, a FCA Portugal lançou uma campanha denominada Countdown Imposto, na qual convida os clientes a adquirirem já os novos automóveis usufruindo do atual contexto fiscal.

Se quiser saber mais informações sobre como poupar até 8.000€ na compra de um Jeep consulte o site da campanha aqui.


M