Bruno Fernandes elogia FC Porto e defende Ronaldo: «Quando uma equipa perde...»

Internacional português sublinha "mentalidade vencedora" dos dragões

• Foto: Reuters

O Manchester United defronta esta quinta-feira o Milan em jogo da 2.ª mão dos oitavos de final da Liga Europa e Bruno Fernandes não foge às comparações entre as duas equipas.

"Em alguns aspetos, somos iguais ao Milan. Clubes com um passado de prestigío, com várias Champions na sala de troféus, que passaram por uma fase de transição mas estão a voltar ao topo. No início da temporada, ninguém pensou que o Milan pudesse lutar pelo campeonato. Estamos em março e estão no segundo lugar. Jogam bem, têm jovens interessantes e o valor acrescido da força de Ibrahimovic", afirmou o internacional português em entrevista à 'Gazzetta dello Sport'.

Na 'ressaca' da eliminação da Juventus da Liga dos Campeões aos pés do FC Porto, o médio dos red devils garante não ter ficado "surpreendido" até porque conhece bem os dragões - "Têm uma mentalidade vencedora, jogam um futebol agressivo e esperava que isso criasse problemas à Juventus", sublinhou - e abordou a chuva de críticas de que Cristiano Ronaldo tem sido alvo.

"Cristiano é um dos grandes da história do futebol, a mentalidade dele inspira aqueles que praticam esta modalidade. Ganhou muito, mas ninguém pode ganhar sozinho. Entendo que a sua presença na Juventus criou grandes expectativas para a Liga dos Campeões, mas quando uma equipa perde, perde um grupo inteiro, não apenas um jogador", concluiu.

Ainda na conversa com o jornal italiano, Bruno Fernandes lembrou o seu percurso em Itália, onde vestiu as camisolas do Novara, Udinese e Sampdoria, e justificou a razão pela qual "tanto talento" tenha escapado a estes clubes, face aos números que tem no United.

"Era muito jovem, tive que completar o meu crescimento, de um país para o outro. Em Itália, não consegui afirmar-me totalmente porque a posição de médio atacante no vosso futebol não tem uma vida fácil", justificou Bruno Fernandes.

Da Sampdoria, Bruno Fernandes seguiu para o Sporting, com números sempre em crescendo, chegando aos 16 golos na primeira época e aos 32 na segunda, não cumprindo já na totalidade a terceira, com a transferência, em janeiro de 2020, para o Manchester United.

De Itália, Bruno Fernandes lamentou não ter tido mais tempo com o treinador Francesco Guidolin (na Udinese), mas disse que só tem a agradecer o que Itália lhe deu e a experiência de "crescimento ao mais alto nível".

Na comparação com Inglaterra, com a chegada ao Manchester United, o médio português sublinhou "a intensidade" na Liga inglesa, com equipas pequenas de grande qualidade e a colocarem muitos problemas, enquanto em Itália o plano "tático" é como uma universidade do desporto.

Um ano de pandemia não evitou que o médio considere 2020 "especial", devido à transferência do Sporting para o Manchester United.

"Do ponto de vista profissional, foi o melhor ano de sempre: a transferência para o United, a Liga inglesa, 12 meses de satisfação no relvado. Fora disso, foi complicado, com a distância da família, a proteção devido ao vírus, a dificuldade em manter crianças pequenas em casa, que não entendem as restrições", explicou.

No percurso, o médio revelou ainda que procura assistir a outros campeonatos, ler, perguntar e tirar apontamentos.

"Porque um dia gostava de treinar", admitiu o internacional português.

Por Record e Lusa
9
Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
Subscreva a newsletter

e receba as noticias em primeira mão

ver exemplo

Ultimas de Liga dos Campeões

Notícias

Notícias Mais Vistas