Paulo Duarte de regresso e mais 19 'portugueses' para acompanhar

Técnico lidera o Burkina Faso numa edição marcada pela estreia da Guiné-Bissau

• Foto: Ahmed Ouoba/AFP/Getty Images

A 31.ª edição da Taça das Nações Africanas (CAN) tem no treinador Paulo Duarte, de novo ao comando da seleção do Burkina Faso - repete a presença de 2012, ano em que não passou da fase de grupos - a face mais visível da presença portuguesa na competição que arranca este sábado no Gabão. Mas, até à final agendada para 5 de fevereiro, não faltam motivos de interesse, até porque a repreentação do futebol nacional na prova não se fica pelo técnico de 47 anos. É que há 19 jogadores vinculados a clubes portugueses entre os 368 que fazem parte das listas de 23 eleitos das 16 equipas que estarão em ação.

A grande parte deste lote de futebolistas a alinhar nos relvados nacionais chega ao Gabão por força da estreia da Guiné-Bissau em grandes competições internacionais. Comandada por Baciro Candé, técnico que sucedeu a Paulo Torres e apurou pela primeira vez a seleção lusófona para uma fase final da CAN - é, por sinal, o único dos PALOP apurado -, a equipa guineense conta 13 elementos de clubes portugueses, além de outros que passaram por cá e, inclusivamente, chegaram a jogar pelas camadas jovens da Seleção Nacional.

Ainda assim, só três dos eleitos de Baciro Candé jogam na Liga NOS: são eles Abel Camará (Belenenses), João Mário (Chaves) e Mamadu Candé (Tondela). Os restantes 10 repartem-se entre equipas da 2.ª Liga (Tomás Dábo, Piqueti, Lassana Camará, Eridson, Agostinho Soares, Aldair e Rui Dabó) e do Campeonato de Portugal (Jonas Mendes, Nani Soares e Juary Soares).

Integrada num Grupo A que conta com o anfitrião Gabão, o Burkina Faso (de Paulo Duarte) e os Camarões, a Guiné-Bissau tem na ultrapassagem da fase de grupos uma missão quase impossível. No entanto, não faltam outros jogadores 'portugueses' com ambição de chegar longe na competição.

Brahimi com ambições

Um dos candidatos a estar na final é o portista Brahimi. O extremo integra uma seleção da Argélia que surge no Gabão como uma das equipas mais fortes - conta ainda com nomes bem conhecidos dos adeptos portugueses como Slimani (ex-Sporting) ou Soudani (ex-V. Guimarães). 

Outro dos destaques é o egício Hassan, do Sporting de Braga. Os 'faraós' estão de regresso à CAN após uma travessia do deserto que durava desde 2010, ano em que conquistaram o 7.º e último título africano - são a seleção com mais vitórias na competição -, e o objetivo é voltar a ombrear com as principais potências continentais.

O maliano Marega, goleador cedido pelo FC Porto ao Vitória de Guimarães, é outro dos candidatos a brilhar nos relvados gaboneses, enquanto Bakary Sané (Moreirense), pelo Burkina Faso, Kizito (Rio Ave), pelo Uganda, e Serge Kevyn (União de Leira), pelo anfitrião Gabão, são os restantes representantes do futebol português.

De Camacho a Atsu

Mas há outros velhos conhecidos em prova. Desde logo o espanhol José António Camacho, que passou duas vezes pelo comando técnico no Benfica, e lidera agora o Gabão, depois de suceder a Jorge Costa já nos últimos meses de 2016. Depois, há ainda o defesa Manuel da Costa, que representou Portugal nos escalões jovens e alinha desde 2014 por Marrocos, a terra natal da sua mãe.

Aboubakar (ex-FC Porto), Carcela (ex-Benfica) e Christian Atsu (ex-FC Porto) são outros jogadores que já atuaram no principal campeonato português e também estarão na CAN'2017, ao serviço de Camarões, Marrocos e Gana, respetivamente.

JOGADORES 'PORTUGUESES' NA CAN'2017


Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
Subscreva a newsletter

e receba as noticias em primeira mão

ver exemplo

Ultimas de CAN 2017

Notícias

Notícias Mais Vistas