Portugal é o terceiro país que mais contribui para a Taça das Nações Africanas

São 19 os futebolistas presentes no Gabão que disputam os campeonatos nacionais

• Foto: Reuters

Portugal é o terceiro país que mais jogadores fornece para a Taça das Nações Africanas (CAN 2017), competição que arranca no sábado, em Libreville, no Gabão. Com efeito, são 19 os futebolistas que desenvolvem a sua carreiras nos campeonatos nacionais e que a partir de 14 de janeiro - e, na melhor das hipóteses, até 5 de fevereiro - estarão impedidos de dar o contributo aos respetivos clubes.

Espanha e Turquia contribuem com um pouco menos do que Portugal, 18 futebolistas, para a mais importante competição de seleções de África, sendo claramente superadas por França - de onde viajam 57 atletas - e Inglaterra, que contribui com 37 participantes. Curioso é verificar que Espanha e Turquia fornecem exatamente o mesmo número de futebolistas que a Tunísia, um dos participantes. E a Tunísia é o país africano cujos campeonatos estão melhor representados.

Seguem-se o Egito, com 14 futebolistas, a ausente África do Sul, com 13, e a República Democrática do Congo, com 8. Uma referência para o país organizador, o Gabão, em cuja a seleção atuam apenas 3 jogadores que disputam as competições locais. A Costa do Marfim, vencedora em 2015, vai tentar revalidar o título sem qualquer atleta dos seus campeonatos. França e Inglaterra dominam, naturalmente, a convocatória costa-marfinense.

No que diz respeito aos 'portugueses', a grande maioria aterrou no Grupo A, na seleção da Guiné-Bissau, mas existem representantes lusos em todos os agrupamentos. Eis os 19 futebolistas que se espera só voltem a exibir-se nos relvados nacionais depois de 5 de fevereiro: Sèrge Kevyn (Gabão/U. Leiria), Bakary Saré (Burkina Faso/Moreirense), Jonas Mendes (Guiné Bissau/Salgueiros), Lassana Camará (Guiné Bissau/Ac. Viseu), Tomás Dabó (Guiné Bissau/Sp. Braga B), Eridson (Guiné Bissau/Freamunde), Abel Camará (Guiné Bissau/Belenenses), Nani Soares (Guiné Bissau/Felgueiras), Juary Soares (Guiné Bissau/Mafra), Agostinho Soares (Guiné Bissau/ Sp. Covilhã), Piqueti (Guiné Bissau/Sp. Braga B), João Mário (Guiné Bissau/Chaves), Aldair (Guiné Bissau/Olhanense), Mamadu Candé (Guiné Bissau/Tondela), Rui Dabó (Guiné Bissau/Cova da Piedade), Yacine Brahimi (Argélia/FC Porto), Moussa Marega (Mali/V. Guimarães), Ahmed Hassan (Egito/Sp. Braga) e Luwagga Kizito (Uganda/Rio Ave).

Ao todo, e segundo contas da organização, serão 368 jogadores, oriundos de 63 países, tão distantes como Canadá ou Coreia do Sul, como Estados Unidos da América ou Vietename. Como na antiga Grécia... Que comecem os jogos!

Por João Lopes
Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
Subscreva a newsletter

e receba as noticias em primeira mão

ver exemplo

Ultimas de CAN 2017

Notícias

Notícias Mais Vistas