Selecionador da Guiné-Bissau quer passar fase de grupos na CAN

Formação orientada por Baciro Candé vai defrontar a congénere de Angola

Baciro Candé
Baciro Candé • Foto:  Paulo Calado

O selecionador da Guiné-Bissau, Baciro Candé, assumiu esta sexta-feira o objetivo de tentar passar a primeira fase da Taça das Nações Africanas (CAN), em competição a realizar no Egito, a partir do dia 21 de junho.

"Estamos focados no trabalho, acredito nos valores que temos e que podemos fazer algo surpreendente na CAN. O mais importante é alcançar a qualificação e vamos fazer tudo para tentar passar a primeira fase", disse Baciro Candé, em declarações à agência Lusa, em Penafiel, quartel-general da seleção guineense.

O selecionador, de 52 anos, reconheceu as dificuldades da missão, afirmando que "não vai ser fácil" garantir a qualificação num grupo que inclui Gana, com quatro troféus na prova, o Benim e os Camarões, campeões em título.

"Os Camarões venceram justamente a última edição e são uma seleção muito forte, física e tecnicamente. São uma lenda africana e os candidatos maiores à vitória. O Gana também é uma seleção de respeito, já titulada, e parte acima de nós em favoritismo, enquanto o Benim é uma equipa chata e muito voluntariosa", analisou Candé.

Para Baciro Candé, a Guiné-Bissau vai tentar surpreender com o "coletivo", que considerou o aspeto "mais forte" de uma equipa em que "os jogadores trabalham juntos há muito tempo".

"Temos talento com fartura. Basta analisarmos as seleções portuguesas de futebol para constatarmos que cerca de 80 por cento dos jogadores, em especial nas seleções mais jovens, têm uma base guineense", afirmou o selecionador dos 'djurtus', nome pelo qual são conhecidos os jogadores guineenses.

Candé considerou que que "o futebol guineense está a evoluir em todos os sentidos", reforçando esta ideia com a segunda participação consecutiva dos guineenses na CAN.

"Os jogadores jovens, com 17 ou 18 anos, não pensam e não querem ir à seleção guineense, mas, a partir daí, a responsabilidade aumenta e o espaço [da seleção portuguesa] fica mais reduzido para eles, aumentando as possibilidades de jogarem por nós", constatou.

Pelé, médio que jogou no Nottingham Forest, de Inglaterra, por empréstimo dos franceses do Mónaco, é uma das figuras desta seleção com trajeto nas seleções jovens de Portugal, o que acontece também com Romário Baldé, avançado da Académica, da II Liga.

A seleção da Guiné-Bissau defronta a congénere de Angola, que também marcará presença na CAN, em Penafiel, no sábado, num particular marcado para as 17:00.

Por Lusa
Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
SUBSCREVA A NEWSLETTER RECORD GERAL
e receba as notícias em primeira mão

Ultimas de CAN

Notícias

Notícias Mais Vistas

Copyright © 2019. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.