Sergio Ramos lembra saída de Lopetegui: «Instabilidade não é boa companheira»

Capitão da seleção espanhola faz balaço da participação de 'La Roja' no Mundial

• Foto: EPA

Sergio Ramos fez nas redes um balaço da época, tanto no Real Madrid, como na seleção. E se no clube lamentou o percurso nas competições internas, elogiando, porém, a conquista da 3ª Liga dos Campeões consecutiva, sobre a presença de 'La Roja' no Mundial a história é diferente.

O capitão lembra a saída de Julen Lopetegui do comando técnico da equipa, dias antes de o grupo de estrear em prova. "A instabilidade nunca é boa companheira", avisa. Sergio Ramos aceita as críticas, garante que os jogadores também queriam ir além dos oitavos-de-final, e deixou umas palavras a Iniesta, que se despediu da seleção.

Leia a publicação de sergio Ramos na íntegra:

"Hoje termina a nossa temporada e como sempre acontece, faço um balanço. Não pensem que não analisamos as coisas ou que não estamos conscientes dos nossos erros e acertos. Vivemos tudo com ilusão e com muita responsabilidade.

Com o Real Madrid foi uma época com sombras, é certo, mas com uma grande luz. As competições internas fugiram-nos, mas voltámos conquistar a Liga dos Campeões, pela terceira vez consecutiva, foi um feito histórico.

A despedida de Zinade foi uma sobremesa amarga, mas cada um é livre de tomar as suas decisões. Um agradecimento infinito ao nosso mister.

E agora a seleção. Um desafio imenso, que enfrentávamos com toda a energia do mundo. E quando ainda não tínhamos sequer começado, aconteceu algo inesperado. Não vou avaliar os atos e as decisões, mas a instabilidade nunca é boa companheira.

Mesmo assim mantivemos a coesão, a força do grupo, a energia de um conjunto de companheiros e amigos, mas fomos do mais ao menos. E embora muitos pensem que podíamos ter feito mais, não foi possível. Porque deixámos sobre a relva até a última gota de suor, o último resquício de energia e bravura.

Não fizemos tudo como devíamos, mas sem dúvida tentámos sempre até ao fim. Aceitamos todos os comentários e críticas, mas não esquecemos que ganhar é quase uma casualidade, perder perdem todos menos um. Só aquele que é capaz de se recuperar, de persistir e insistir até à exaustão tem a oportunidade de chegar à glória, ao título.

É precisamente aí que reside a grande dificuldade. Não ensombremos toda uma trajetória por uns tropeções próprios da nossa profissão, do nosso desporto, da nossa vida. Lamentavelmente na maioria das vezes não se ganha, mas o perdedor é aquele que se vence antes que o vençam, que baixa os braços diante da adversidade, que vira as costas à dificuldade.

Podíamos ter feito as coisas melhor, devíamos ter feito melhor, mas não me envergonho. Orgulho-me de ser o capitão desta enorme seleção. E dito isto, uma palavra especial para um companheiro, um amigo em aventuras e desventuras, que nos fez sentir aquilo que nunca imaginámos. Iniesta, foi um prazer percorrer este caminho vestido de vermelho contigo. Como disse ontem, gostaria que pudesses ter levado uma melhor recordação da tua despedida.

Se quiserem pensar em fracasso, sois livres para o fazer. Nós preferimos pensar que é uma nova oportunidade para chorar, aprender, levantar, crescer e seguir a lutar. Vamos fazê-lo, isso é certo."

(2/2) Y llegó el turno de la @sefutbol. Un reto inmenso, apasionante que afrontábamos con toda la energía del mundo. Y cuando aún no habíamos debutado, sucedió algo que no esperábamos. No voy a valorar los actos ni las decisiones, pero la inestabilidad nunca es buena compañera. Aun así mantuvimos la cohesión, la fuerza del grupo, la energía de un conjunto de compañeros y amigos, pero lo cierto es que hemos ido de más a menos. Y aunque muchos penséis que podríamos haber hecho más, no supimos hacer más. Porque nos dejamos sobre el verde hasta la última gota de sudor, el último ápice de energía y bravura. No lo habremos hecho como debíamos, pero sin duda lo intentamos hasta el final siempre. Aceptamos todos los comentarios y críticas, pero no olvidemos que ganar es casi una casualidad, porque perder pierden todos, menos uno. Solo aquél capaz de recuperarse, persistir e insistir hasta la extenuación tiene la oportunidad de levantar la gloria, el título. Es precisamente eso, la gran dificultad, la que encumbra las victorias y las convierte en hitos, en leyenda. No emborronemos toda una trayectoria por unos tropiezos propios de nuestra profesión, nuestro deporte, nuestra vida. Lamentablemente, la mayoría de veces no se gana, pero perdedor es aquel que se vence antes de que lo venzan, el que baja los brazos en la tormenta, el que da la espalda a la dificultad. Pudimos hacerlo mejor, debimos hacerlo mejor, pero no solo no me avergüenzo, me enorgullezco de ser el capitán de esta enorme selección. Y dicho esto, un recordatorio especial para un compañero y amigo en aventuras y desventuras, que nos hizo sentir aquello que nunca imaginamos. @andresiniesta8 , ha sido un placer recorrer este camino contigo de rojo. Como dije ayer, me hubiera gustado que te hubieras podido llevar un mejor recuerdo de tu despedida. Si queréis pensar en fracaso, sois libres de hacerlo. Nosotros preferimos pensar que es una nueva oportunidad para llorar, aprender, levantarse, crecerse y seguir batallando. Lo haremos, eso seguro.

Uma publicação compartilhada por Sergio Ramos (@sergioramos) em

1
Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
Subscreva a newsletter

e receba as noticias em primeira mão

ver exemplo

Ultimas de Mundial 2018

Notícias