Thiago Silva viveu horrores em Moscovo e por pouco não perdeu um pulmão

Brasileiro foi resgatado da capital russa com a ajuda de Jorge Mendes em 2005 e está agora de regresso

• Foto: Reuters

O Brasil vai jogar quarta-feira com a Sérvia, em Moscovo, mas para Thiago Silva não deve ser fácil voltar à capital russa. Foi ali, que 2005, que viveu um dos piores momentos da sua carreira, a ponto de ter tido a sua vida em risco. A história é contada pelo site UOL.

Em Moscovo o internacional canarinho viveu autênticos horrores. Contraiu numa doença grave, ficou sozinho, chegou a ser dado como acabado para o futebol...

Em janeiro 2005 Thiago Silva, com apenas 21 anos, chegou à cidade para assinar com o Dínamo Moscovo e, como qualquer jovem brasileiro, trazia na bagagem o sonho de singrar fora do seu país. Seguiu com a equipa para Lisboa, onde seria realizado um estágio de pré-época, mas algo de anormal se passava. Thiago sentia-se sempre muito cansado, sem forças... Um exame detetou uma doença impensável: tuberculose!

"Sinceramente não sei de onde tirou forças para suportar aquela situação. Para passar pelo que passou, tem de ser forte. Em 100 pessoas 60 no lugar dele desistiam. Poucos têm noção do que sofreu", contou o treinador Ivo Wortmann, um dos grandes responsáveis pela recuperação do defesa.

O tratamento da doença à partida parecia ser simples, mas as coisas complicaram-se. Foi internado num hospital em Moscovo com instalações muito precárias durante quatro meses; Thiago viveu num quarto com 10 metros quadrados em que mal podia andar. "Ele foi internado num hospital em que eu nunca ficaria. Foi um filme de terror. Era um prédio velho, tudo era velho. Quando ele lá chegou foi fazer uns exames, a seringa era fervida! Nem olhei", acrescentou o treinador.

Sozinho num país estranho, a sofrer de uma doença altamente contagiosa, Thiago não recebeu visitas durante meses. As melhoras eram poucas, estava muito abatido e inchado, por causa dos medicamentos. "Quando o vi tinha uns 10 ou 12 quilos a mais. Fiquei assustado", contou o empresário Paulo Tonietto.

Mas o pior estava para vir. Um médico quis operar um dos pulmões do jogador, o que significaria o fim da carreira de futebolista. Até que Ivo Wortmann resolveu agir. "Pensei para mim: 'há algo errado aqui, hoje em dia ninguém morre de tuberculose'. Disse-lhe que ia falar com o Tonietto para entrar em contacto urgentemente com o Jorge Mendes e que íamos levá-lo para Portugal ou para o Brasil. Não podia fazer essa cirurgia porque ninguém joga futebol sem um pulmão!" 

E foi o que aconteceu. Thiago veio para Portugal, onde o médico António Almeida o submeteu a um tratamento agressivo, e aos poucos foi recuperando. 

No fim de 2005 recebeu a melhor notícia possível: estava curado e apto para voltar a jogar futebol. Ivo Wortmann levou-o para o Fluminense e depois acabou por brilhar no Milan e no PSG, onde se mantém desde 2012.

"Sem dúvida voltar a Moscovo vai ser uma mistura de sensações. Mas acredito que será bom, pois foi uma grande vitória, uma conquista. A carreira dele mostra o vencedor que é", disse a sua mulher, Isabelle Silva.


3
Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
Subscreva a newsletter

e receba as noticias em primeira mão

ver exemplo

Ultimas de Mundial 2018

Notícias

Copyright © 2020. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.