Stromberg diz que adeus de Ibra elevou o nível da Suécia

Ex-benfiquista mostra-se confiante nas hipóteses dos nórdicos no playoff com a Itália

• Foto: Miguel Barreira

Glen Stromberg foi um dos craques suecos que brilharam no Benfica nos anos 80 do século passado - o antigo médio fez apenas uma época (1983/84) na Luz -, mas foi nos relvados italianos, para onde se transferiu logo a seguir, que mais deixou a sua marca ao serviço da Atalanta. Agora, a poucos dias do embate entre a Suécia e a Itália, no playoff europeu de acesso ao Mundial'2018, mostrou-se confiante no sucesso dos compatriotas numa qualificação que não deixaria de ser uma surpresa.

"Estou realmente convencido que ambas as equipas têm 50% de hipóteses de estar na Rússia. Tudo se decidirá nos detalhes. Eu sei que, por história e tradição, todos acham que a Itália tem a presença quase certa no Mundial, até na Suécia a maioria dos adeptos acredita nisso. Mas penso que os 'azzurri' tiveram alguns problemas nos últimos tempos e acabaram por perder a confiança", alertou o agora comentador televisivo em declarações ao jornal italiano 'La Gazzetta dello Sport'.

Por outro lado, Stromberg elogiou as melhorias recentes da turma nórdica, destacando o papel do selecionador. "O mérito é de Jan Andersson, que é realmente um excelente treinador. Foi capaz de voltar a dar entusiasmo à seleção depois de um Europeu pouco brilhante", sublinhou o ex-futebolista do Benfica, atualmente com 57 anos.

E, ainda por cima, a Suécia enfrentou o adeus de Zlatan Ibrahimovic, principal figura da equipa nos últimos anos, que anunciou a retirada da seleção precisamente depois da eliminação do Euro'2016. "Eu sei que está na moda dizer que a Suécia é mais forte sem Ibra, mas parece-me que é um exagero. Zlatan é o melhor jogador que este país produziu nas últimas décadas, mas a ausência dele mudou a forma de procurar a vitória. Com ele, podíamos ganhar mesmo jogando mal, pois ele, às vezes, ganhava os jogos sozinho. Agora, ao contrário, todos jogam a um nível elevado", lembrou Stromberg.

Fã de Emil Forsberg

Da atual equipa, o ex-benfiquista destaca um jogador em particular. "Emil Forsberg, sem dúvida. Tem técnica, velocidade e grande capacidade para jogar um para um", adiantou, referindo-se ao extremo do RB Leipzig. Ainda assim, admite que esta seleção sueca está longe daquelas que brilharam nos Mundiais de 1958 (finalista vencida) e de 1994 (3.ª classificada). "Essas equipas eram mais fortes, mas agora há um grupo de jogadores capazes de surpreender, como já demonstraram na fase de qualificação."

A fechar, Glen Stromberg ainda comentou o 'entendimento' entre suecos e dinamarqueses no Euro'2004, em Portugal, num jogo em que as duas seleções nórdicas empataram (2-2) e acabaram por ditar a eliminação da... Itália. Um facto que deixou os transalpinos muito irritados, mas que o antigo médio não deixou de considerar normal, lembrando mesmo situações piores que viveu no 'calcio'.

"Obviamente, esse jogo ficou na memória dos italianos muito mais do que na dos suecos, mas não vejo como vocês podem reclamar disso. Acima de tudo, quando um resultado é útil para ambas as equipas no campo, as hipóteses de ele se verificar irão aumentar. Mas é algo que acontece em todo o Mundo. Além disso, se posso ser sincero, vi acontecer coisas muito piores em Itália", concluiu.

Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
Subscreva a newsletter

e receba as noticias em primeira mão

ver exemplo

Ultimas de Mundial 2018 - Europa

Notícias