A oferta inesquecível de Messi a peruano: «Vou mandar emoldurá-la, como uma peça de decoração»

Lateral esquerdo do Peru, Miguel Trauco, relembrou o momento em que conseguiu a camisola do craque argentino

• Foto: Lusa/EPA
Na madrugada de quinta para sexta-feira, a Argentina e o Peru defrontaram-se, num confronto a contar para a qualificação para o Mundial’2022, e que terminou com vitória alviceleste por 1-0. Porém, apesar da derrota, Miguel Trauco, lateral esquerdo da seleção peruana, saiu do encontro com uma recordação que guardará para a vida, a camisola do capitão argentino, Lionel Messi.

O jogador que pertence aos quadros do Saint-Etienne falou ao jornal argentino Olé depois de receber a camisola e não escondeu o contentamento: "Ficar com a camisola do Leo é um máximo. Estou descontente com o resultado mas feliz pela camisola. Messi é o melhor do mundo e é um orgulho ter a sua camisola", contou.

Porém, o jogador que já teve passagens pelo Universitário e pelo Flamengo confessou que esta não é a primeira vez que conseguiu arrecadar a camisola de um craque. "Tenho um monte delas. A de Neymar no PSG, a do Paquetá, a do Cuéllar,etc. Graças a Deus partilhei o balneário com grandes jogadores. Agora tenho a oportunidade de partilhar o mesmo campeonato [Ligue 1] com o Neymar e o Messi", explicou Trauco.

O craque argentino já está habituado a que, no final do encontro, sejam muitos os adversários que lhe pedem a camisola. Como tal, Trauco foi questionado sobre se houve discussão com algum colega antes do pedido a Messi: "Não. Eu pedi-lhe durante o jogo. Perguntei-lhe se alguém lhe tinha pedido a camisola, disse-me que não e pedi que a guardasse", recordou.

Depois de mais uma camisola para a colecção, Trauco admitiu que já ter planos para a camisola do número 10 argentino: "Vou mandar emoldurá-la, como uma peça de decoração em casa. Ao lado da camisola do Paquetá e do Neymar, junto às melhores" e acrescentou que nunca a venderia: "Nem louco. Vou guardá-la para mim, não necessito de dinheiro".

Antes de terminar, o lateral peruano teve ainda tempo de reafirmar o desejo de ter mais uma camisola… também de Messi. "Dia 28 de novembro o Saint-Etienne joga com o PSG e espero enfrentá-lo. Vamos ver se lhe posso pedir a camisola. Se puder, vem em boa hora", concluiu
Por Record
1
Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
Subscreva a newsletter

e receba as noticias em primeira mão

ver exemplo

Ultimas de Internacional

Notícias

Notícias Mais Vistas