Emiliano Sala: as três dúvidas em torno do fatal acidente que continuam sem resposta

Permanecem várias incógnitas quase três semanas após o acidente que vitimou o jogador argentino

• Foto: Reuters

Confirmada que está a morte de Emiliano Sala, depois de ontem as autoridades britânicas terem adiantado que o corpo resgatado dos destroços do avião pertencia mesmo ao malogrado futebolista, o caso mantém-se em aberto. Encerradas as buscas, permanecem por responder algumas questões em torno do acidente que vitimou o argentino e o piloto, Dave Ibbotson - cujo corpo não foi encontrado -, no passado 21 de janeiro, no Canal da Mancha.

O MOTIVO DO ACIDENTE

Esta será, porventura, a questão mais pertinente em toda a história: afinal, por que caiu a avioneta? Encontrada a uma profundidade de cerca de 63 metros no Canal da Mancha, as equipas de resgate - financiadas através de uma angariação de fundos promovida pela família de Sala, depois de as primeiras buscas terem sido encerrradas - encontraram o aparelho praticamente intacto. "O que mais nos impressionou foi estar tudo ali. Esperávamos encontrar um campo de escombros, mas não. O avião está partido mas os destroços estão praticamente todos ali", confessou David Mearns, responsável pela equipa que localizou os destroços, que permanecem no fundo do mar devido aos elevados custos da operação quer permitirá retirá-los da água. 

Pouco depois do acidente, foram reveladas declarações de ambos os falecidos que levantaram suspeitas. Ibbotson havia dito que estava um pouco "enferrujado" com o sistema de aterragem e o próprio Sala, antes de levantar voo, confessou ter medo numa mensagem enviada a um amigo e referiu que "o avião parecia está a cair aos bocados". A última palavra pertence agora às autoridades, que irão investigar as causas da queda do aparelho, nomeadamente se houve negligência...

VIAGEM NUMA AVIONETA

O presidente do Cardiff, Mehmet Dalman, revelou que o clube se colocou à disposição de Emiliano Sala para tratar da viagem para o País de Gales, mas que o futebolista optou por utilizar "os seus próprios meios", através do modelo 'Piper PA-46-310P Malibu'. Também Jorge Polanco, comandante e consultor, disse na altura que "viajar no Canal da Mancha com um avião daqueles era uma loucura, ainda por cima de noite e com mau tempo."

Sabe-se que Sala queria estar às ordens do treinador do Cardiff o mais depressa possível, o que poderá ter levado o jogador a viajar assim que tivesse oportunidade. Depois, há ainda o mistério em torno de Dave Henderson, piloto que passou pelo controlo de embarque mas que não seguiu viagem. Um "erro" a que Henderson garantiu ser alheio: "Não vou a Nantes há mais de um ano".

PAGAMENTO DA TRANSFERÊNCIA

Irá o Cardiff efetivamente pagar ao Nantes pela transferência? Os galeses garantiram que vão honrar o negócio e enviar o cheque de 17 milhões de euros ao clube francês. "Vamos pagar mas quando chegar o momento certo para isso", disse o presidente do clube britânico. 

O Nantes, por seu turno, exigiu que o Cardiff pague a transferência de Emiliano Sala no prazo máximo de 10 dias. A investigação da Air Accidentes Investigation Branch será também muito importante devido às questões relacionadas com os seguros.... Ou seja, o caso pode acabar em tribunal.

Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
SUBSCREVA A NEWSLETTER RECORD GERAL
e receba as notícias em primeira mão

Ultimas de Internacional

Notícias

Notícias Mais Vistas

Copyright © 2019. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.