FIFA opõe-se ao COI na entrega dos controlos antidoping à AMA

Outras federações também estão reticentes quanto à medida

• Foto: EPA

O presidente do Comité Médico da FIFA, Michel D'Hooghe, manifestou a sua oposição à proposta conjunta do Comité Olímpico Internacional (COI) e da Agência Mundial Antidoping (AMA) para canalizar a gestão de todos os controlos no segundo organismo.

Citado pela agência AFP, D'Dooghe disse respeitar as propostas do COI e da AMA, "mas justificam-se para federações mais pequenas", reiterando que a FIFA não entregará a gestão dos controlos à Agência Mundial Antidoping.

No próximo domingo, a AMA apresentará uma série de reformas na política de controlos antidoping. A mais polémica, por sugestão do COI, é a de passar a gerir, por intermédio de um organismo criado por si, a gestão dos controlos para todas as federações internacionais.

Além da discussão desta proposta, o presidente da AMA, o britânico Craig Reedie, sem opositor, deverá ser reeleito para um novo mandato de três anos.

O COI, que já financia metade do orçamento anual da AMA, estimado em 27 milhões de dólares (cerca de 25,2 milhões de euros), está disponível em reforçar a verba para que seja implementado este novo sistema, mas essa opção não é consensual.

A AMA deverá sugerir às federações que atribuam as verbas dos seus orçamentos destinadas aos controlos à futura entidade, mas se grandes federações como a FIFA ou a Federação Internacional de Ciclismo (UCI) optarem por não integrar a nova política antidoping, os fundos não deverão ser suficientes.

Citado pela AFP, o presidente de uma federação internacional, que pediu anonimato, disse que esta proposta "é mais política que prática", enquanto o líder da Federação Internacional de Tiro com Arco, Tom Dielen, considera que a medida "tem um impacto residual nas modalidades mais pequenas", pois o seu organismo já tem "um sistema de controlo implantado".

Confrontado com estas posições contrárias, o diretor-geral da AMA, Olivier Niggli, frisou que "compete ao COI convencer as federações, como também lhe competirá financiá-lo".

Apesar das fricções entre os dois lados, agravadas com o escândalo de doping generalizado na Rússia, que levou à exclusão dos praticantes de atletismo dos Jogos Olímpicos Rio'2016, o COI já manifestou o apoio à reeleição de Craig Reedie.

Por Lusa
Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
Subscreva a newsletter

e receba as noticias em primeira mão

ver exemplo

Ultimas de Internacional

Notícias

Notícias Mais Vistas

Copyright © 2020. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.