O império das transferências de Anelka

só ibrahimovic tem mais valor acumulado

Anelka tal e qual um 'globetrotter'
Anelka tal e qual um 'globetrotter' • Foto: REUTERS

Se Nicolas Anelka juntasse uma camisola por cada clube que representou, podia vestir um onze inicial. Sim, isso mesmo. Isto porque o avançado francês, de 34 anos, assinou pelo West Bromwich Albion, que se torna assim no 11.º clube na agitada carreira de Anelka. É mesmo caso para dizer que é de "globetrotter" também nos valores que envolveram estas "viagens": as suas transferências envolveram 134 milhões de euros - apenas Ibrahimovic "gerou" mais dinheiro.

Tudo começou em França, no Paris Saint-Germain. Era a primeira paragem da grande viagem de Anelka. Então um jovem de 16 anos, o francês transportava consigo o carimbo de promessa do futebol mundial, carimbo esse que agradou aos olhos de Arsène Wenger. O técnico do Arsenal não se fez rogado e era assim que o dinheiro começava a circular...

A primeira temporada ao serviço dos gunners foi tímida mas, quando Ian Wright se lesionou, já na segunda época, Anelka assumiu a batuta e marcou golos importantes para dar a dobradinha ao Arsenal. A viagem estava a ter um começo auspicioso, algo que continuou no ano seguinte, com o francês a conquistar o destaque de melhor jovem da Premier League.

Eis que começavam os problemas. Ainda com 19 anos, Anelka não gostou da imprensa inglesa e quis sair. O prémio? O Real Madrid por 35 milhões de euros. A pressão era grande e a verdade é que o jovem gaulês não aguentou. Esporadicamente, lá apareceu (e pode gabar-se de ter conquistado uma Liga dos Campeões...), mas um arrufo com Vicente Del Bosque deu numa suspensão de 45 dias.

Seguia-se uma escala do avião Anelka em Liverpool, quase só para abastecer. Lá encheu o depósito, mas a próxima viagem era curta... Foi para Manchester, para representar o City, pela módica quantia de 19,8 milhões de euros. Aos 23 anos, conseguiu ser o melhor marcador dos citizens nas duas temporadas em que os representou, com 14 e 25 golos, respetivamente. E há outro dado digno de nota: foi o responsável pela primeira derrota de Mourinho à frente do Chelsea.

Mais duas paragens, mais 22 milhões a andarem pelo Mundo, literalmente. O avião fez escala na Turquia, para uma aventura no Fenerbahçe, mas por ventura esqueceu-se de bagagem em Inglaterra e regressou para aterrar no Bolton Wanderers. Só que Anelka parece ter ganho "alergia" ao clube e quis equipar de azul. Aproximava-se outra paragem.

O sucesso no Chelsea e a aventura chinesa

Cansado de relações fugazes, Anelka estacionou no Chelsea (mais 20 milhões de euros...) entre 2007 e 2011. Decidido a ficar, o francês começou a ameaçar voltar a receber o carimbo de avançado de craveira mundial, ao marcar 25 golos na época 2008/2009, 19 deles na Premier League. Parecia de facto estar a começar a cumprir.

Conquistou duas taças de Inglaterra, um campeonato e uma supertaça, mas gradualmente cansou-se e pôs o motor do avião a trabalhar outra vez. Queixou-se de que André Villas-Boas o tinha impedido de estacionar no parque dos titulares e de ter de se vestir noutro balneário. Estava na hora do divórcio.

Com 32 anos, a viagem ia ser maior... Foi até à China e deixou todos de olhos em bico quando se soube que ia receber 12 milhões de euros pelo ano de trabalho na Ásia. Marcou três golos e rapidamente se mudou para a Juventus onde não conseguiu marcar nos três jogos que fez.

Agora volta ao local onde mais bem sucedido foi: Inglaterra. Desta feita, é o West Bromwich Albion de Steve Clarke que atraiu o avião de Anelka, prestes a ficar sem gasolina, segundo o próprio comandante: "Quero acabar a minha carreira na Premier League e desejo que esta seja a minha última equipa". Está dito. As viagens do "globetrotter" chegaram ao fim.

Só Ibrahimovic movimentou mais dinheiro

Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
Subscreva a newsletter

e receba as noticias em primeira mão

ver exemplo

Ultimas de Internacional

Notícias

Notícias Mais Vistas

Copyright © 2020. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.