Polícia revela que jogador do São Paulo não reagiu às agressões por estar embriagado

Delegado de São José dos Pinhais diz que "a vítima estava completamente indefesa"

• Foto: EPA

O delegado de São José dos Pinhais, a localidade onde está a ser investigada a morte do jogador do São Paulo, revelou esta terça-feira numa conferência de imprensa que Daniel Corrêa não reagiu às agressões de que foi alvo por se encontrar "bastante embriagado".

"Recebemos apenas um relatório até agora, que é o da dosagem alcoólica no corpo da vítima. Percebe-se que o Daniel estava bastante embriagado", explicou Amadeu Trevisan, acrescentando que "não foram detetadas drogas".

"A vítima estava completamente indefesa e foi dominada por quatro pessoas", acrescentou.

Recorde-se que o médio, de 24 anos, apareceu no meio do mato morto, com golpes no pescoço e sem os genitais depois de ter estado na festa de aniversário de Allana Brittes. Mas tarde, o empresário Edison Brittes Júnior confessou o crime justificando-o com o facto de Daniel ter tentado violar a sua mulher, Cristiana.

Edison, a filha e a mulher encontram-se detidos, bem como três amigos de Allana, que teriam ajudado a dominar Daniel, colocando-o depois na bagageira do carro do empresário.

Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
SUBSCREVA A NEWSLETTER RECORD GERAL
e receba as notícias em primeira mão

Ultimas de Internacional

Notícias

Notícias Mais Vistas

Copyright © 2019. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.